TECNOLOGIA

Horta do futuro: robôs e inteligência artificial vão cultivar alface

Author

Empresa criada por ex-engenheiro do Google promete baratear custos de produção e oferecer vegetais mais frescos com plantio dentro de um galpão

Horta do futuro: robôs e inteligência artificial vão cultivar alface

(Foto: Divulgação/Iron Ox)

O alface que você compra no mercado pode demorar dias para chegar da horta à prateleira. Isso significa que, quando ele vai para o seu prato, dificilmente está fresquinho. Mas um ex-engenheiro do Google quer resolver esse problema usando alguns robôs, inteligência artificial e galpões fechados em vez de campos abertos para a plantação.

Brandon Alexander fundou a startup Iron Ox com o objetivo de cultivar vegetais orgânicos em ambientes fechados e vendê-los por preços mais em conta do que os alimentos cheios de pesticidas vindos de fazendas a centenas de quilômetros de distância.

Todo o processo é feito de maneira automática. São robôs os responsáveis por plantar, cultivar e colher os vegetais. O controle de qualidade usa vídeos e sensores, assim as próprias máquinas checam se os produtos estão com uma cara boa. Por enquanto, humanos coordenam o processo, mas a ideia é que os computadores aprendam sozinhos a chegar no melhor processo de produção possível.

Três robôs são responsáveis por todo o trabalho. Dois deles apenas transportam os pés de alface para lá e para cá, levantando os pequenos vasos para colocá-los em bandejas, onde ficam em contato com água e nutrientes. De tempos em tempos, as máquinas levam as plantas para o chefe do time, um terceiro robô, que avalia a qualidade dos vegetais.

Câmeras criam uma imagem 3D da planta, e o sistema busca por doenças ou anomalias. Então decide se o alface deve ir para o lixo, ficar onde está ou partir para uma bandeja maior, onde crescerá mais rapidamente.

É nesse processo de análise que o computador colhe dados e chega sozinho à conclusão de que precisa aumentar ou diminuir a temperatura do local, regular a humidade, trocar o tipo de iluminação ou modificar outros fatores ambientais. É a inteligência artificial colocando as mangas de fora para botar comida de qualidade na mesa.

O galpão de São Francisco, na Califórnia, já produz folhas verdes hidropônicas como alface e manjericão num período de seis semanas. O trabalho começou um ano e meio atrás e ainda está em fase de testes, mas o plano é ousado: iniciar a operação comercial até o fim do ano, ganhar as prateleiras dos mercados em 2018 e então criar uma rede de galpões em todas as grandes cidades dos Estados Unidos com robôs autônomos.