TECNOLOGIA

Startup testa alfaiate com inteligência artificial – e falha miseravelmente

Author

Software é aposentado após clientes da Original Stitch receberem roupas de tamanhos bizarros

Startup testa alfaiate com inteligência artificial – e falha miseravelmente

(Foto: Reprodução/Original Stitch)

A ideia parece ótima: você tira a foto de uma camisa, manda para um site e ele adivinha coisas como tamanho, cor e tipo de tecido. Alguns dias depois, um modelo igualzinho chega em sua casa, pelo correio. Tudo por causa de um programa com inteligência artificial treinado para fazer réplicas de roupas - um alfaiate virtual. Mas funciona?

Pois é, a startup americana Original Stitch (conhecida por personalizar camisas) tentou oferecer o serviço inovador, mas deu tudo errado. Repórteres do site Bloomberg fizeram o teste e compraram várias peças pelo site, mas nenhuma chegou perfeita. Estavam sempre apertadas ou largas demais, com mangas muito longas ou tão pequenas que os botões não fechavam de jeito nenhum.

Clientes já tinham reclamado de problemas parecidos, então a startup resolveu aposentar o software, ao menos por enquanto. De acordo com a empresa, o grande problema da tecnologia é a dificuldade de extrair de uma foto em 2D informações para o modelo tridimensional de uma roupa. Dependendo do ângulo dessas fotografias, os tamanhos de camisas podem parecer menores ou maiores do que realmente são.

Em entrevista à Bloomberg, o pessoal da Original Stitch prometeu melhorar o sistema e colocar no ar uma versão mais precisa, talvez até o fim do ano. O segredo pode ser pedir aos usuários mais fotos, e não apenas uma, para que seja possível comparar os tamanhos das camisas com os outros elementos das imagens. Ou seja: aumentando os dados disponíveis, o programa pode funcionar com maior eficácia.

Por enquanto, os alfaiates podem ficar tranquilos - eles ainda têm um emprego.