TECNOLOGIA

Um drone para tirar selfies: será que fomos longe demais?

Author

Com este objeto voador controlado pelo smartphone, você captura seus melhores ângulos sem contorcionismo

Um drone para tirar selfies: será que fomos longe demais?

(Foto: Divulgação/AirSelfie)

Pau de selfie é um negócio legal ou o cúmulo do narcisismo? Bem, se vamos discutir o quão saudável é um cidadão usar a tecnologia disponível para tirar fotos de si mesmo, troquemos essa geringonça por algo high-tech de verdade. Que tal um drone de selfie?

É isso mesmo que você está pensando: um objeto voador controlado por smartphone que tira fotos ou grava vídeos. Se você quiser capturar a paisagem num autorretrato, ou então incluir um grupo enorme de pessoas no quadro, é só ligar as hélices da pequena AirSelfie, encontrar o melhor ângulo no celular e clicar.

O drone pode se afastar até 10 metros do smartphone para tirar fotos de 5 megapixels ou gravar filmes em 1080p. Para garantir que a câmera não vai cair, em caso de perda de conexão, esse gadget tem uma rede sem fio própria para comunicação com o celular, ou seja, não usa a internet da operadora móvel.

A AirSelfie cabe no bolso, tal qual um celular, e tem um sistema antivibração para garantir que as fotos não vão sair tremidas. Uma carga completa de bateria é o suficiente para o brinquedo voar três minutos.

Você pode achar que um autorretrato é exibição pura e simples. Pode ter a maior vergonha alheia dos turistas que desfilam com seus paus de selfie. Mas fica a pergunta: se o negócio tem mercado, não é melhor usar uma tecnologia legal, que tira fotos boas e sem o seu bração no quadro? Ou o exibicionismo está indo longe demais?

O projeto foi lançado no Kickstarter ano passado, mas agora está à venda também fora do site de crowdfunding. A novidade custa US$ 299, nos Estados Unidos.