SÉRIES

Entrevista com elenco de 'Arrested Development' expõe os mecanismos da misoginia

Author
Jessica Walter (Lucille) e Jeffrey Tambor (George Sr.)
Jessica Walter (Lucille) e Jeffrey Tambor (George Sr.)

As divulgações da quinta temporada de 'Arrested Development', que estreia na terça, dia 29, na Netflix, foram canceladas após uma polêmica entrevista que parte do elenco deu ao jornal americano The New York Times. Os atores Jeffrey Tambor (George Sênior), Jessica Walter (Lucille), Jason Bateman (Michael), Tony Hale (Buster Bluth), Alia Shawkat (Maeby Fünke), Will Arnett (G.O.B.) e David Cross (Tobias Fünke), se sentaram com o jornalista Sopan Deb para falar da nova temporada, mas as coisas ficaram desconfortáveis quando chegaram ao inevitável assunto das recentes acusações de assédio contra Jeffrey Tambor.

Demitido de "Transparent", outra série que protagonizava, Jeffrey nega as acusações de má conduta sexual, mas admitiu em uma entrevista ao Hollywood Reporter que tem o temperamento curto, e que já explodiu com diretores, assistentes e colegas de elenco, inclusive com Jessica Walter, que interpreta sua esposa em "Arrested Development". Imediatamente após tocarem no assunto, Jason Bateman começou a defender Jeffrey, minimizando o ocorrido e dizendo que todos eles já haviam gritado um com o outro. Jessica o corrigiu, dizendo que ele nunca havia gritado com ela daquela maneira, mas Jason continuou defendendo Jeffrey incansavelmente.

"Não que eu queira diminuir ou inventar desculpas, mas na indústria do entretenimento é incrivelmente comum ter pessoas que são, entre aspas, 'difíceis'", disse Bateman, que justificou o assédio de Jeffrey: "É uma profissão estranha, e isso cria um ambiente para que esse tipo de comportamento atípico apareça". Alia Shawkat, única outra mulher no grupo, partiu em defesa de Jessica. "Isso não significa que seja aceitável". Neste momento a matéria conta que Jessica estava com lágrimas nos olhos. "Ele nunca cruzou a linha com nenhum comportamento sexual, mas verbalmente? Sim, ele me assediou. Ele pediu desculpas, eu tenho que perdoar", comentou Jessica.

Diante da situação - uma mulher de 77 anos entre lágrimas, dizendo que foi assediada por um homem que estava na mesma sala, tendo ele admitido o ocorrido - seria de se imaginar que o elenco todo ficaria ao lado da atriz, mas não foi o que aconteceu. Jason continuou tentando justificar e minimizar o comportamento de Jeffrey, falando sem parar sobre como isso seria normal, e que o colega era uma ótima pessoa. "É complicado, porque o Jason diz que é uma coisa comum, mas em quase 60 anos de carreira nunca vi ninguém gritar assim comigo ou com qualquer outra pessoa", insistiu Jessica, que ganhou seu primeiro Emmy em 1975, quando Jason tinha apenas 5 anos de idade. Mas isso não impediu que Jason tentasse explicar para ela como a indústria do entretenimento funciona.

Depois disso, Jason ainda insinuou que não era produtivo insistir no assunto, e Jessica teve que lembrá-lo que quem lançou o tema foi o repórter. Tony Hale, Will Arnett e David Cross também entram na discussão, concordando com Jason e se posicionando na defesa de Jeffrey. Essa dinâmica machista e constrangedora se repete por vários parágrafos, e Jason parece incorporar seu personagem na série, falando sem parar, sem demonstrar o mínimo senso crítico ou preocupação com as outras pessoas presentes. O ator tanto fez que conseguiu encerrar a entrevista mais odiado que o próprio Jeffrey, que cometeu o assédio.

A reação de todos eles expõe os mecanismos do machismo, e demonstra quase que didaticamente por que mulheres ainda têm tanta dificuldade em se colocar no mercado de trabalho. Primeiro com Jeffrey, que se sentiu no direito de gritar com a colega a ponto de traumatizá-la. Depois com a própria Jessica se sentindo pressionada a perdoá-lo e a esquecer o ocorrido, quando claramente ainda está magoada. A defesa do assediador por todos os colegas homens é mais um exemplo da 'broderagem', que faz questão de passar pano em comportamentos tóxicos e até criminosos de outros homens. A única a defender Jessica foi Alia, que é rapidamente calada pela tagarelice de Jason.

Depois da polêmica e de uma repercussão terrível nas redes sociais, com muita gente pedindo o boicote à série, Jason emitiu um pedido de desculpas, assim como Tony. Esse era o mínimo esperado, mas não vai apagar o fato de que eles se comportaram de maneira misógina. Depois que esse véu se levanta, e nós enxergamos a verdade dos bastidores, fica difícil aproveitar as séries da mesma maneira. Como se descobríssemos que nosso doce favorito é feito de lixo. "Arrested Development" sempre foi uma das minha séries favoritas, está entre as que eu mais revejo e é de longe a que eu mais cito rotineiramente, mas agora eu nunca mais vou conseguir ter a mesma experiência agradável de antes. Quando esses homens vão parar de estragar tudo?