OUTROS

Crônica Narrativo-Descritiva #1

Author

Sentado na escadinha localizada na proa do N.M. Bonança, Julian fechou seu livro de ficção preferido e o repousou sobre sua coxa direita. Observou as nuvens explodindo cada reflexo dos raios de luz enviados pelo Sol como uma mensagem de ‘até amanhã’, traduzido em tons que variavam entre cor laranja-calmante e vermelho-analgésico, contrastando com o azul-alucinógeno do céu e amplificadas pelo reflexo das águas sedosas do Rio Tenebris, deixando-o desprendido de tudo o que estava à sua volta. Do barco no qual navegava, dos tripulantes que estavam às suas costas, contando suas proezas de procedência duvidosas e do choro longínquo de um bebê de colo. Dopado pela mescla de tons, contrastes e texturas, em um estado de contemplação da natureza na qual ele tanto ignorava, lhe proporcionara naquele instante uma sensação de paz e tranquilidade que ele buscara sem êxito nos últimos dois meses.

A leve e fria brisa, proporcionada pelo deslocamento do Navio sobre o rio era a única percepção que ainda o mantinha conectado ao mundo real. Naquele momento, todos os seus problemas pendentes, todas as suas frustrações, todas as suas tristezas e todo o remorso pelas coisas que ele sequer tentou fazer foram submergindo, conforme o Sol mergulhava por entre as árvores que separavam o céu do horizonte, tornando Julian um ser renovado para seguir sua jornada rumo à vila das cachoeiras do Oeste.