MUNDO

Mulher faz o próprio parto com tutorial do Youtube e narra o processo com memes

Author
Mulher faz o próprio parto com tutorial do Youtube e narra o processo com memes

Tia Freeman, americana de 24 anos, é provavelmente a pessoa mais despreocupada e de boas do universo. Sua história absurda aconteceu no dia 7 de março na Turquia, e vem ganhando cada vez mais notoriedade na internet depois que ela resolveu narrar a história inteira através de memes. Isso porque Tia deu à luz seu primeiro filho em um quarto de hotel, sozinha, com a ajuda de vídeos do YouTube!

Tudo começou quando Tia descobriu que estava grávida já no terceiro trimestre de gestação. Sua menstruação sempre se atrasava e ela não ganhou muito peso, então nem imaginou que estaria esperando um bebê. Sem saber lidar muito bem com a notícia, ela não contou pra ninguém que estava grávida e partiu para sua viagem de férias na Alemanha, já que suas passagens estavam compradas. "Eu é que não ia jogar fora o dinheiro de uma passagem internacional! Se o bebê chegasse na hora marcada ia dar tudo certo", tuitou ela.

Só que ela esqueceu de combinar isso com seu bebê, e durante o voo de 14 horas, que faria uma escada em Istambul, na Turquia, ela começou a sentir cólicas fortes. Pensando que a culpa era do salmão que comeu no jantar, ela não se preocupou muito. Assim que o avião pousou, ela relatou no Twitter que as cólicas pioraram e vieram os enjôos e o suor frio. Foi quando ela desconfiou que poderia estar em trabalho de parto. Ela procurou os sintomas no Google e descobriu que provavelmente teria o bebê em poucas horas.

Mulher faz o próprio parto com tutorial do Youtube e narra o processo com memes

Morrendo de medo de parir num aeroporto, ela nem pensou em chamar uma ambulância ou pedir ajuda. Seu primeiro instinto foi correr para o quarto do hotel que havia reservado. “Cheguei no meu hotel e agora tenho certeza de que estou em trabalho de parto. Não existe nenhuma possibilidade de eu não estar em trabalho de parto, porque mal posso ficar de pé. É isso, estou em um país estrangeiro, onde ninguém fala inglês, eu não sei o número de emergência, e não tenho ideia do que fazer. Então, como boa millennial que sou, decidi procurar no Youtube (risos). Se alguém pudesse me ajudar, seria a internet! Fui para o meu quarto de hotel, com toda a minha solidão, aprender como parir o meu próprio bebê", escreveu ela em sua conta no Twitter.

Com uma dose de humor e desespero, ela compartilhou com o mundo as horas a seguir. "Hora da Verdade. Não tenho tempo para ficar nervosa. Enchi a banheira com água morna, #PartoNaAgua, peguei uma toalha para morder e outra para enrolar o bebê assim que ele aparecer. É estranho como uma pessoa se torna concentrada quando a adrenalina começa a subir", explicou ela, que relatou que em nenhum momento surtou, apenas se concentrou no que estava fazendo.

"A internet diz que eu não devo começar a empurrar até que minhas contrações estejam espaçadas por 2 minutos. Porque você não quer se cansar muito cedo e depois não ter energia quando a criança estive pronta para vir, entende? E eu: ok, bitch, você tem um timer no seu smartphone. Você consegue!", escreveu ela.

"Minhas contrações já estavam vindo a cada minuto! Eu estava atrasada pra caramba, MAL cheguei ao quarto. Então eu enfiei a toalha na boca e comecei a empurrar. NUUUUNCAAAAA senti uma dor assim na minhavida. Parecia que estava sendo rasgada ao meio. CADÊ MINHA ANESTESIA?"

"Felizmente rolou tudo muito rapidamente. Eu só tive que empurrar umas 5 ou 6 vezes até o bebê sair. RISOS, vou te contar, bebês são flutuantes. Aquele danadinho fez bloop e flutuou até o topo da água", explicou ela, que ainda não tinha ideia do sexo do bebê, e só conseguiu olhar nesse momento. Imediatamente ela verificou o mapa astral do bebê! "Nascido no dia 7 de março, no céu da Turquia".

"Observação: partos na água não são tão bonitos quanto o que você vê no YouTube. Não tinha música hippie tranquila tocando suavemente ao fundo, nem aquela iluminação natural incrível. Foi UMA ZONA", explicou ela. Depois disso, Tia se deitou na cama com o bebê no peito e começou a massagear a barriga, porque havia lido na internet que isso ajudaria a expelir a placenta, que se não sair pode causar a morte da mãe. "De acordo com a internet, você não deveria puxá-la para fora, porque ela tem que se selar de volta ou algo do tipo, não sei, lol."

Tudo deu certo, a placenta saiu e agora era a hora de cortar o cordão umbilical. "Eu não tinha nenhum grampo, como o sugerido, mas tinha cadarços. Escuta: na Turquia todos bebem chá, então todo quarto de hotel tem uma chaleira elétrica. Eu só fervi um pouco de água para esterilizar os cadarços para que eu pudesse usá-los como grampos”.

Depois de passar por tudo isso, Tia ainda LIMPOU O BANHEIRO!

Tia ainda conseguiu amamentar o bebê, colocar ele pra dormir, e depois ela mesma foi dormir. No dia seguinte ela já tinha um táxi pago para o aeroporto, e achou que lá conseguiria ajuda para descobrir o que fazer para levar seu bebê de volta para casa. Assim que ouviram a história, os funcionários da companhia aérea, a Turkish Airlines, chamaram médicos, enfermeiras e a polícia e imigração Ela foi examinada e teve que responder a um milhão de perguntas, até os oficiais se convencerem de que ela não havia roubado o bebê, tentando traficá-lo para outro país. Depois disso Tia foi encaminhada para a embaixada americana para conseguir uma certidão de nascimento.

Além disso, a Turkish Airlines convocou a imprensa, e Tia acabou aparecendo em todos os noticiários turcos. Ela ganhou a hospedagem por 15 dias no país, até se recuperar, e ainda faturou uma passagem aérea de volta para casa, em classe executiva. Agora ela está tentando arrecadar dinheiro para pagar despesas médicas pós-parto, em uma página do Go Fund Me.