POLÍTICA

João Doria Jr. é o político do antipetismo

Author

Respostas ríspidas. Jeito de "gestor". Antipolítico. Presidenciável ou não? Fazedor de marketing. "Jornalista". Protegido pela elite paulista. Adota linguagem populista mesmo que suas ações não correspondam à prática. Seria Doria um dos produtos do antipetismo?

João Doria Jr. é o político do antipetismo

O PT assumiu o governo federal em 2003 e são mais de 13 anos de antipetismo na imprensa. Antes mesmo da eleição de Lula, a rejeição à esquerda já existia como produto da ditadura militar. Um ex-metalúrgico no posto de maior poder do país revoltou as elites. Enquanto o PIB crescia estava tudo bem. Quando a situação mudou, Dilma Rousseff caiu do governo e Michel Temer ascendeu para cumprir os desejos desta elite: Cortes na Bolsa Família, Previdência Social, Saúde, Educação e desonerações fiscais sem controle. Uma diminuição do Estado a todo custo e sem nenhuma inteligência.

Neste contexto, surge João Doria Jr. como candidato à prefeitura de São Paulo contra Fernando Haddad do PT. Jeito de empresário, muito marketing com empresas na órbita do PSDB, seu partido, Doria vence em primeiro turno com uma votação esmagadora de três milhões de votos.

Na campanha, Doria ressaltou em muitas falas como ele é contra ciclovias, projetos sociais e "iniciativas do PT". Na cadeira de prefeito, está executando o script de maneira organizada.

Paralisou a política de ciclovias, cortou medicamentos em postos de saúde e cobriu grafites com tinta cinza. No Carnaval, provocado por uma pessoa na rua, xingou o adversário de "seu Lula". Disse que o ex-presidente gostaria de visitar os "amigos em Curitiba". E manda quem apoiar o PT ir pra cadeia em bate-boca.

Vestiu-se de gari, de pedreiro, de cadeirante e de jardineiro para simular uma aproximação com a população. Sua gestão, no entanto, não responde às reclamações.

O PSDB o vê como esperança de presidenciável em 2018 contra Lula, a despeito da pré-campanha de Geraldo Alckmin. Doria nega as intenções, mas todo mundo duvida.

João Doria Jr. não sai das notícias. Doria é midiático e publicável porque é o produto legítimo do antipetismo. Não está envolvido em falcatruas da Odebrecht, mas negocia parcerias privadas com Ultrafarma, Microsoft, Multilaser e outras empresas "sem contrapartidas". Uma investigação de corrupção nesta falta de transparência pode estar aí.

Quando uma companhia gigante como a Amazon provoca o prefeito numa propaganda e ele a chama de "oportunista", ele comprova que não tem equilíbrio para lidar com a publicidade do próprio cargo.

A mesma demonstração segue para o artigo do colunista da Folha de S.Paulo, André Singer, que recebeu outra resposta malcriada do prefeito. O vereador do PT, Antonio Donato, levantou documentos que apontavam uma dívida de R$ 90 mil de IPTU do prefeito, que se arrastou desde 2002. João Doria Jr. demorou mais de 10 anos para quitar a dívida, embora seus fãs achem isso comum. 

Doria está com a bola toda porque ele é o produto do antipetismo. 

É o coxinha do momento.