OUTROS

Grávidas, bebês e felinos: os mitos da toxoplasmose

Author
Grávidas, bebês e felinos: os mitos da toxoplasmose

Uma das coisas mais bonitas que uma mamãe de filhos caninos e felinos é ver que os peludos receberam um recém nascido humano com todo o amor. É natural de muitos animais entender o momento da gestação da dona. Ele compreende, pela explosão de cheiros que você libera, que há um novo membro para a matilha que está para chegar e que necessitará de todo carinho. Alguns cachorros muito brincalhões, por exemplo, até deixam de pular na mamãe humana para proteger a barriga. Outros não costumam deixar nenhum estranho se aproximar. Curioso, não?!

Com gatinhos é assim também. Quando um bebezinho está para chegar, os felinos costumam integrar o novo "filhote". Alguns podem até ser avessos, mas todos merecem uma boa dose de confiança e paciência para se acostumarem com uma nova rotina dentro de casa.

Dá só uma olhada que fofo esse peludinho com um novo bebê!

Grávidas, bebês e felinos: os mitos da toxoplasmose

Pois conheça Panda, um gatinho preto e branco muito fofo, e o companheiro perfeito para a mamãe Liel Asmar Assayag enquanto ela estava grávida. O gato dormia sobre a barriga, dando calorosos abraços no pequenino que estava para chegar.

Grávidas, bebês e felinos: os mitos da toxoplasmose

Pessoas que têm gatos, como eu, sabem que o bichano adora um chameguinho do dono, especialmente numa posição muito confortável. E, para eles, não há nada mais confortável do que a barriga do papai ou da mamãe humana. Eles costumam deitar lá e ficar totalmente de boa, curtindo uma sonequinha com a segurança dos donos. O ronronar é prova disso. Significa: "por favor, não vá embora: está muito bom assim".

Quando o filho de Liel chegou, não é que Panda o recebeu da mesma forma?

Grávidas, bebês e felinos: os mitos da toxoplasmose

Quando o bebê de Liel nasceu, o marido dela foi para casa com um dos paninhos da criança, com o cheirinho dela, para que Panda e outros dois bichanos se acostumassem quando o neném finalmente chegasse em casa. Demorou um mês para que recebessem o mais novo membro da família, ignorando completamente a existência dele. No entanto, como de costume, hoje não só abraçam o pequenino como também fazem um relatório completo das atividades do bebê: se acordou, se está chorando, se fez cocô. 

E se você, mamãe gravidinha, estiver preocupada com a toxosplasmose, não afaste seu gatinho de você! Se o médico recomendou tal barbaridade, livre-se do médico porque ele não parece ter nenhum conhecimento sobre isso. A toxoplasmose é causada pelo protozoário parasita Toxoplasma gondii. A gente entende muito bem os riscos desse contágio, fatal para uma gestação, como aborto, má formação fetal, sequelas neurológicas e problemas oculares. Mas não é o convívio com o gato que transmite a doença!!! É preciso, no mínimo, ingerir as fezes de um animal infectado para conseguir tal proeza dele. E um gatinho de apartamento infectado é até bem raro. Além de precisar ficar exposto à doença por meio de outros animais ou terra contaminada, o ciclo da toxoplasmose no gato é de até 20 dias em toda uma existência. Uma única vez! Após a excreção do parasita pelas fezes, o gatinho fica imune e com chances quase nulas de pegar o parasita novamente. Um simples exame de sangue no animal é capaz de detectar isso.

Por isso, resolvemos esclarecer aqui um pouco mais sobre a doença que possui mais mitos do que verdades por aí:

1) A toxosplasmose é mais frequentemente transmitida pelos alimentos crus do que pelos felinos. Por isso que as grávidas devem evitar sushi, carne mal passada, carpaccio, ovos moles ou frito com gema mole, salada e vegetais de origem desconhecida (coma apenas em casa, bem lavada com cloro) e qualquer alimento mal cozido.

2) Beber água não filtrada e clorada.

3) Evite limpar a caixa de areia do gatinho, mas se for fazer isso, use luvas (até máscaras, para as gravidinhas mais preocupadas) e lave bem as mãos depois, com sabonete de enxofre ou antibacteriano.

4) Não tome leite sem ser pasteurizado.

5) Estoque a ração do gatinho adequadamente, evitando o contato com insetos.

6) Evite dar visceras e carnes cruas para o bichano.

7) Evite mexer com terra e jardins. E se for fazer isso, use luvas!

Pronto! Tomando esses cuidados, você pode abraçar e beijar seu bichinho sem nenhum problema. Não o abandone e não deixe de dar amor a ele por ignorância. Toxoplasmose é uma questão de higiene.

#toxoplasmose #crianças #gravidez #gatos