OUTROS

Poluição do ar pode causar diabetes? Cientistas dizem que sim!

Author
Poluição do ar pode causar diabetes? Cientistas dizem que sim!

A poluição do ar está causando 3,2 milhões de novos casos de diabetes - 14% do total - em todo o mundo, segundo estudo da Universidade de Washington, nos Estados Unidos.

Dados oficiais da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que houve 422 milhões de adultos no mundo diagnosticados com a doença em 2014, em comparação com 108 milhões em 1980. Os países de baixa e média renda, como o Brasil, são menos capazes de lidar com a doença e tiveram o maior crescimento no número de casos.

Mas nos países desenvolvidos o número de casos também subiu. No Reino Unido, o número de pessoas com diabetes tipo 2 triplicou nas últimas duas décadas, passando de 700 mil nos anos 90 para 2,8 milhões hoje, o que custa ao Ministério de Saúde britânico cerca de 14 bilhões de libras esterlinas por ano (o equivalente a R$ 72 bilhões). No Brasil estima-se que gastemos 15% dos R$ 3,5 trilhões destinados à Saúde. No âmbito familiar brasileiro, os custos para tratar a doença chegam a abocanhar 40% da renda mensal de uma pessoa.

O aumento dos números tem sido associado ao aumento dos níveis de obesidade, mas o que a Universidade de Washington identificou é que o diabetes tem raízes bem mais complexas do que o metabolismo do açúcar. O estudo descobriu que o número de pessoas com diabetes aumentava à medida que a poluição do ar aumentava, mesmo quando as partículas estavam abaixo dos níveis considerados seguros pela OMS.

O diabetes tipo 2 ocorre quando um indivíduo não produz insulina suficiente, o hormônio que permite que as células absorvam glicose no sangue, ou quando a insulina produzida não funciona adequadamente. Como resultado, o açúcar no sangue se acumula no corpo e as células não recebem a energia de que necessitam.

Com o passar do tempo, o diabetes tipo 2 pode causar danos aos vasos sangüíneos, nervos e órgãos e provocar doenças renais e cegueira. Também aumenta o risco de ataque cardíaco e derrame.

Para o estudo, os pesquisadores analisaram os registros de saúde de 1,7 milhão de veteranos norte-americanos que foram acompanhados por uma média de 8,5 anos. Usando dados de satélite da Nasa e leituras de estações terrestres para monitorar a poluição do ar, eles ligaram as leituras aos indivíduos para encontrar a qualidade do ar que estavam respirando.

Eles também cruzaram a poluição atmosférica em 194 países com o estudo Global Burden of Disease para descobrir se os casos de diabetes aumentaram em áreas mais poluídas.

Embora estudos anteriores tenham sugerido que a poluição pode desencadear o diabetes por inflamar as vias aéreas e impedir a insulina de processar o açúcar no sangue, o estudo é o primeiro a ver se está realmente acontecendo em um nível populacional e quantificar o efeito.