MULHERES

Seis marcas inclusivas de lingerie para ficar de olho nas próximas compras

Author

Os tempos estão mudando. Felizmente isso é para mim e muitas mulheres no mundo. Percorremos um longo caminho desde o espartilho, passando pelos sutiãs queimados, até que, finalmente, pelo menos a opinião pública se mostra menos castradora e mais humana. No mercado, o setor de lingerie é um símbolo da luta feminina, ao mostrar que as mulheres estão abandonando cada vez mais o sofrimento e desconforto das peças íntimas para atender padrões e expectativas masculinas. A mudança de cultura e demanda do consumidor vem causando uma revolução nesse setor que vem selecionando aos poucos as marcas que continuarão nesse mercado e quais irão afundar com o velho mundo patriarcal.

Surge, assim, uma nova espécie de lingerie feminina, surpreendentemente quase exclusivamente liderada por outras mulheres - uma ruptura de uma indústria ironicamente conhecida por ser um pouco de um clube de meninos. Essas empresas de lingerie femininas em ascensão têm aspectos diferenciados, mas cada uma parece estar se movendo resolutamente na direção de roupas íntimas que combinam conforto com estilos de lingerie novos ou tradicionais, e a um preço relativamente acessível. Incentivos comuns incluem faixas de tamanho mais inclusivas, transparência na produção e utilização robusta do feedback dos clientes como luz orientadora da produção. Resultado: mais inclusão!

Estas novas roupas foram projetadas para trabalhar com os corpos de seus clientes e, sem surpresa, foram recebidas com muito alarde - com algumas listas de espera para lançamentos de produtos superiores a 1 milhão de mulheres.

Fique de olho nessas marcas internacionais que estão revolucionando o mercado de lingeries com linhas novas para todos os corpos (muito além da velha e tradicional Victoria’s Secret).

1) ThirdLove

Seis marcas inclusivas de lingerie para ficar de olho nas próximas compras

A ThirdLove, uma startup de lingerie com apenas cinco aninhos de vida, é mais conhecida por reinventar a casca de ovo do sutiã. Se você quiser se aproximar do exato estilo, tamanho e forma corretos para o seu corpo, é aqui que você deve fazer compras - e a equipe do ThirdLove será ainda mais atenta do que o normal para ajudá-lo a encontrar a combinação certa em vez de uma aproximação ao formato dos seus seios. É também um dos melhores fabricantes de tomara-que-caia porque ele não cai e também não aperta. A marca disponibiliza 70 tamanhos de sutiã, bem acima da média do restante do mercado internacional que oferece apenas 30. A iniciativa levou mais de um ano para ser implementada e mais de 1,3 milhão de mulheres estavam na lista de espera. Para a fundadora Heidi Zak, foi um avanço natural. Para que mais mulheres encontrassem seu ajuste correto, era necessário que houvesse mais opções para elas escolherem.

2) Knix

Seis marcas inclusivas de lingerie para ficar de olho nas próximas compras

Knix quer oferecer uma opção meio-termo entre a lingerie ultracara e aquela "calcinha de vovó". A empresa fabrica sutiãs, tops, roupas íntimas e acessórios suaves e fáceis de usar.

A marca é mais conhecida pela criação do Evolution Bra, que foi uma das campanhas mais bem sucedidas do Kickstarter, com US $ 1 milhão em vendas e mais de 55.000 pré-vendas. A promessa era simples: um sutiã que pudesse fazer tudo - reversível, alto desempenho, capaz de ser usado de oito maneiras diferentes e feito de materiais antimicrobianos, de secagem rápida, absorvedores de umidade, sem fios. Joanna Griffith criou-o como o primeiro sutiã que ela poderia usar durante todo o dia sem precisar trocar a peça por outra do guarda-roupa para adequar à roupa escolhida. Outro ol de placa da Knix foi trazer para o mercado a linha de calcinhas à prova de vazamentos - roupas íntimas que prometem funcionar como um produto de reposição ou reserva (com diferentes níveis de absorção) para a menstruação. Acredite: você e o meio ambiente agradecem.

3) Everlane

Seis marcas inclusivas de lingerie para ficar de olho nas próximas compras

A startup lançou roupas íntimas feitas de algodão super macio, o Supima, em 2018 após criar 40 protótipos. É um dos produtos mais confortáveis segundo os especialistas em moda feminina.

Everlane começou a criar uma linha de roupas íntimas entre o básico barato e a lingerie ornamentada e superfaturada. O material é realmente macio, respirável e "esquecível" da melhor maneira possível durante todo o dia, ou seja: você não sente que está usando! Atualmente, a coleção inclui um hipster de cintura alta (aquele calçolão) e outras tendências que abraçam confortavelmente quadris e seios de variados tamanhos.

4) True&Co

Seis marcas inclusivas de lingerie para ficar de olho nas próximas compras

A True & Co fabrica o tipo de sutiã sem costura e sem enchimentos e que parece quebrar todas as regras da lingerie uma vez no corpo. Ele não vai te dar a mesma cobertura ou levantar mais do que um sutiã tradicional, mas é conforto puro. A coleção True Body, da empresa, foi vendida sete vezes após a estreia, e cada sutiã fica entre US $ 34 e US $ 68. A empresa também investe em um feedback das 6 milhões de clientes para continuar melhorando.

5) Lively

Seis marcas inclusivas de lingerie para ficar de olho nas próximas compras

A Lively é uma nova e sensacional startup que combina o estilo de lingerie tradicional com o conforto de um atleta - e faz isso com um orçamento que a maioria de nós pode obter. Foi fundada por Michelle Cordeiro Grant, ex-comerciante sênior de sutiãs da Victoria's Secret, e cada sutiã custa atualmente apenas US$ 35. O custo alto é o frete. A empresa é bastante ativa nas redes sociais e os novos produtos são criados com base no feedback das seguidoras do Instagram e do Facebook. A empresa também levantou US $ 8,5 milhões em financiamento de investidores, incluindo a GGV Capital, também conhecida por apoiar Slack e Airbnb.

6) Trusst

Seis marcas inclusivas de lingerie para ficar de olho nas próximas compras

A primeira coisa que você deve saber sobre a Trusst é que a empresa é totalmente fundada com a ideia de apoio a mulheres com seios fartos. Fartos mesmo (D +)! A CEO e fundadora Sophia Berman usou sua experiência em design e engenharia para implementar um núcleo de sutiã impresso em 3D, patenteado e conhecido como BAST - Breast Advanced Support Technology. A tecnologia redistribui o peso do peito e fornece sustentação, copos moldados têm suporte costurado diretamente neles e o revestimento anti-microbiano proporciona conforto durante todo o dia. Até as tiras são almofadadas com espuma para maior conforto! A Trusst usa o BAST para fazer apoiar os seios, não amassá-los e reduzir a pressão deles sobre os ombros. Os sutiãs também devem durar até seis vezes mais do que seus sutiãs de algodão, segundo a empresa.