YOUTUBE

Quem é Axt, o penetra no prêmio de games da Globo

Author

Você conhece Bruno “Axt” Habitzreuter, o Alemão da Twitch? Oi? Alô? É… Eu ainda não consigo escutar sua resposta do outro lado, mas imagino que você não conheça. Ele está concorrendo a um prêmio da Globo e você não o conhece? Jura? Não, não é o prêmio Melhores do Ano do Faustão. Nunca será. É um prêmio dos melhores atletas dos games. Só que ele não é um atleta dos games. Apenas joga de seu quarto com uma câmera na frente. Como faz?

Quem é Axt, o penetra no prêmio de games da Globo

O mundo dos games é a nova fronteira de novidade da TV. É daqueles fenômenos externos aos grandes meios que se tornam tão grandes que passam a ser obrigatórios no dia-a-dia da cobertura jornalística e de entretenimento. Os grandes conglomerados de comunicação no Brasil são, hoje, tão lentos quanto repartições públicas. Só que tudo tem um limite.

Quem é Axt, o penetra no prêmio de games da Globo

Os games estão conseguindo romper a burocracia do entretenimento de massa e, junto com eles, os e-sports, os esportes eletrônicos. É o que proporcionou o surgimento para o grande público de um rosto apenas conhecido no submundo nerd dos games e das streams na Twitch: Bruno Habitzreuter, o Axt, também conhecido como Alemão devido à ascendência. Só quem acompanha diariamente as transmissões de Axt sabe o que é “xesquedele” ou “dereguejohnson”, mesmo que o próprio não tenha apenas uma definição para seus bordões quase cantados em seu sotaque manezinho.

Axt é o azarão na disputa por um dos troféus do Prêmio eSports Brasil, criado pelo Grupo Globo e considerado o “primeiro prêmio de esportes eletrônicos do Brasil e da América Latina”. Considerado por eles mesmos. Como eu não tenho notícia de que algo tenha sido feito nessa proporção, deixa assim mesmo.

Ele concorre na categoria “Melhor streamer”, que teve votação popular para escolher os três indicados e terá também para definir o vencedor. Axt é o efeito colateral muito bem-vindo de uma premiação que envolve exclusivamente atletas de esportes eletrônicos. Axt é a única exceção.

Quem é Axt, o penetra no prêmio de games da Globo

Jogos como League of Legends, Dota 2, Counter Strike, Rainbow Six, Fifa, PES e Overwatch, só para citar alguns exemplos, têm equipes formadas com atletas contratados para disputar campeonatos valendo milhões. E as redes de TV foram obrigadas a cobrir esses espetáculos, tamanha a popularidade que conquistaram.

O Grupo Globo, da TV Globo e dos canais pagos Sportv, entraram forte na brincadeira, a exemplo de outras emissoras como ESPN e Esporte Interativo. Na TV aberta, criaram o Zero1, programa exclusivo sobre games apresentado por Tiago Leifert. No Sportv, os games passaram a fazer parte da grade de cobertura, como tênis e vôlei, e ganharam um canal próprio no YouTube, o e-Sportv. Agora, saíram na frente dos concorrentes com o Prêmio eSports Brasil.

Quem é Axt, o penetra no prêmio de games da Globo

Quase todas as categorias são exclusivas para “melhor atleta”, dos e-sports mais distintos. Só há duas exceções: “Personalidade do ano” e “Melhor streamer”. Na categoria “Personalidade do ano”, os finalistas são Gabriel “Fallen” Toledo, atleta e estrela mundial do CS:Go, Nicolle “Cherrygumms” Merhy, atleta de Rainbow Six e dona de equipe, e o ex-atleta Felipe “Yoda” Noronha, campeão da primeira etapa do CBLoL deste ano com a Red Canids e o streamer mais famoso do país. Na categoria “Melhor streamer”, junto com Yoda, concorrem pelo voto popular Felipe “brTT” Gonçalves, também atleta profissional de LoL e multicampeão (recém contratado pelo Flamengo eSports) e… Bruno “Axt” Habitzreuter, o estranho no ninho, que só joga nessa vida para divertir seus (muitos) fãs.

Natural de Joinville, Santa Catarina, Bruno “Axt” tem 30 anos e mora em São Paulo com a namorada Pamella Shibuya (jogadora profissional de CS:Go) e Mateus "yeTz" Vieira, ex-jogador profissional de LoL. Joga o jogo que der na telha e nunca foi profissional em nenhum deles. Teoricamente, aliás, já que formou um time de estrelas do stream para jogar o fenômeno do momento PlayerUnknown’s Battlegrounds pela equipe americana Luminosity Gaming (LG). Mas sequer disputou um campeonato. A LG tem um time, digamos, oficial para disputar os campeonatos de PUBG nos Estados Unidos.

Se abre sua stream na Twitch durante um dia qualquer, automaticamente milhares de jovens se unem virtualmente ao seu redor para vê-lo jogar. Em um dia normal, bate facilmente os 10 mil espectadores, dependendo de que outras atrações estão ao vivo na mesma hora.

E não precisa jogar um jogo famoso para isso. Como Tatá Werneck ou Marcelo Adnet seriam divertidos até apresentando o Jornal Nacional, o jogo em questão é o menos importante quando o dono do canal de games sabe se comunicar. E mesmo em um jogo improvável como Golf it!, um simulador de minigolfe, é possível dar risadas quando o streamer alcança o nível certo de intimidade com seus convidados, o bastante para rir da cara deles.

É quase impossível que Axt ganhe o prêmio “Melhor streamer” da Globo, já que não tem uma base de fãs cultivada no cenário competitivo como seus “adversários”. Mas só de ter que colocar um smoking para participar da festa de premiação, no dia 19 de dezembro, já uma demonstração do poder de engajamento de seus fãs. Foi o único dos três que não pediu votos para ganhar a indicação. E continua tratando o prêmio com descaso e descrença. Nas streams, comenta sobre o desconforto de ter que se vestir com pompa. Brinca sobre nem aparecer na festa. Seria um erro. Como teríamos, o grande público, a chance de ver uma dança tão sensual com transmissão ao vivo pelo canal pago Sportv 3?

Bruno tem um humor muito ácido, é naturalmente carismático, mas é muito tímido. Mais do que um cara acima de seu público, é um moleque no meio da molecada. Quando toma suas cervejas a mais, fica bem confessional em sua stream, falando da importância de sua avó em sua criação e do pai que “saiu para comprar cigarro e não voltou”. Além das partidas de League of Legends e, mais recentemente, de PUBG, tem um quadro chamado Facetroll, o mais pedido pelos fãs, em que entra na transmissão ao vivo de pessoas aleatórias no Facebook para zoar coisas como sotaques e características físicas alheias. Politicamente incorreto ao extremo, para o delírio da molecada que o segue.

Os excessos do Facetroll seriam sumariamente condenados em uma mídia de massa. Mas é justamente a espontaneidade que faz dele um comunicador natural. Felipe “brTT” Gonçalves, um de seus “adversários” no prêmio, é a maior estrela do cenário brasileiro de League of Legends. Tem sua carreira e suas redes sociais administradas pela noiva, Giuliana Capitani, a Caju, responsável direta pela importância comercial de brTT no cenário. Já o favorito na categoria de streamer, Felipe "YoDa" Noronha, criou uma empresa, a Seh Loiro!, um de seus bordões, e tem até um programa de entretenimento e entrevistas multiplataforma. Os dois são amigos de Axt. Aliás, um de seus vídeos mais vistos no YouTube é de uma partida de League of Legends com os dois no time. E mais Yetz, que mora com ele, e Ismael Zimerman, o Pato Papão, que o ajudou com os vídeos do YouTube.

Mas… E Axt? Não tem nada disso. Dá a impressão de que prefere ficar na frente do computador fazendo stream sempre que pode. É justamente o lugar mais perto de seus fãs. Ele não tem um polimento de media training, mas já dá indícios de que está aprendendo com os excessos. Na marra. Ainda não é seguro e infalível ao vivo quando está fora de seu quarto…

… mas faz as pessoas rirem, o que é mais importante em transmissões como esta.

Se você quer conhecer mais sobre Axt, nem pensa em ligar no Faustão aos domingos. É provável que daqui há algum tempo ninguém mais nascido depois dos anos 1990 faça isso. Basta assistir às suas transmissões ao vivo na Twitch. Ou acompanhar seus vídeos com a compilação dos melhores momentos no YouTube. Alguns deles estão ilustrando este post.

Ele criou esse canal por aclamação, e os primeiros vídeos saíram quase à fórceps. Um dos que mais insistiu foi o supracitado Pato Papão, outra dessas figuras maravilhosas dos games que só estão aí para divertir o público, sem troféus ou excelência técnica. 

Em dado momento, depois de uma breve experiência de Axt com um editor profissional, Pato, que “manja dos paranauê” e tem um canal com mais de um milhão de inscritos, pegou os clipes salvos das transmissões ao vivo do amigo e editou por conta própria. Na "broderagem". Ainda com quase 300 mil inscritos, o canal do Alemão tornou-se um dos mais divertidos do YouTube para quem gosta de games, trilhando o sucesso por uma rota improvável há até pouco tempo.