YOUTUBE

Youtuber pede permuta em hotel e recebe esculacho público

Author

“Oi, meu nome é Elle e eu trabalho como influenciadora das redes sociais” afirma em vídeo Elle Darby, uma… influenciadora das redes sociais. O fato desta ser uma forma válida de se apresentar ainda é um mistério para mim, mas muita gente já recebe este predicado como profissão, e com naturalidade. Ela tem influência porque tem muitos seguidores, e tem muitos seguidores porque tem influência. Só não vou citar o “dilema de Tostines” porque vocês vão descobrir que eu não entendo a atividade da moça por ser velho.

Youtuber pede permuta em hotel e recebe esculacho público

“É como eu ganho meu dinheiro, é como eu vivo minha vida, é o mundo que eu conheço, é o único trabalho que me trouxe alegria”, continuou. Por que ela estava dizendo isso em seu canal do YouTube com 90 mil inscritos? Porque existe outro velho que não entendeu o tipo de profissão que ela tem. E colocou a boca no trombone (desculpa por outra expressão idosa).

Elle estava indo com o namorado de Bath, na Inglaterra, onde mora, para Dublin, na Irlanda. Seria uma viagem de 5 dias. O que uma pessoa normal faria? Marcaria passagens e hotéis, escolhendo o melhor preço, passando o cartão… Mas não Elle Darby. Ela é uma influenciadora digital, afinal! Não é igual a todos nós. Ela escolheu o hotel perfeito e mandou um e-mail sugerindo uma permuta. O que é uma permuta?

É o que os produtores de conteúdo do começo da internet tinham PAVOR de ouvir. No comecinho da internet, quando surgiram os primeiros blogs e sites, as empresas estabelecidas achavam super normal divulgar sua marca em troca de produtos e/ou serviços. E os pequenos blogs e sites aceitavam, no começo… Não tinha outro jeito, né? Era banner em troca de DVD, citação em troca de desconto… o horror. O produtor de conteúdo queria DINHEIRO, como toda pessoa normal, mas conquistar isso foi difícil, uma luta duríssima. Alguns ficaram pelo caminho, outros venceram e estão aí até hoje. E, finalmente, ganhando DINHEIRO!

Elle Darby é um exemplo de que o tempo passou e o jogo virou. Hoje em dia, depois de toda essa luta inglória contra empresas que só davam dinheiro para a grande mídia e permuta para o povo da internet, são os produtores de conteúdo que fazem questão de viver em um mundo de permuta, que vou chamar aqui de Planeta Mimo. Ganham dinheiro, mas não gastam com coisas que podem ganhar. Roupas, maquiagem, móveis, eletrodomésticos, viagens… tudo em troca de um post, foto ou vídeo elogioso. Virou uma máquina tão azeitada que os influenciadores digitais acabam se assustando quando descobrem que existe um mundo fora do Planeta Mimo, um mundo em que as pessoas fazem as coisas em troca de… dinheiro! Não é louco? Muito louco…

Youtuber pede permuta em hotel e recebe esculacho público

Bem-vindo ao Planeta Mimo! 

Elle Darby pediu estadias de graça para o dono do hotel. Em troca, faria um vídeo elogioso a respeito. É assim que funciona em seu mundo. Ela deve mandar dezenas de e-mails assim por dia. Isso quando precisa mandar, pois normalmente recebe a oferta de antemão. O que não deve acontecer todo dia é alguém divulgar o e-mail. E divulgar a resposta que deu ao e-mail. Foi o caso de Paul Stenson, dono do hotel em Dublin.

“Querida influenciadora”, começou Stenson. “Obrigado por sua mensagem em busca de hospedagem gratuita em troca de publicidade. É necessário ter coragem para enviar um e-mail como esse, mas não muito respeito próprio e dignidade. Se lhe permitisse dormir aqui em troca de sair em um vídeo, quem iria pagar as pessoas que cuidam de você?”

Paul Stenson continua devastador em sua resposta, publicada em seu Facebook. Basicamente, pergunta quem iria pagar as contas básicas como luz e água e o salário dos funcionários, como camareiras e recepcionistas. “Talvez eu devesse dizer a meu pessoal que apareçam no seu vídeo em vez de pagar pelo trabalho que fazem enquanto você estiver aqui”, escreveu. E, no fim, foi mais direto: “Meus melhores cumprimentos, mas a resposta é não.”

A nova geração da internet tem mania de transformar qualquer desavença em uma briguinha de 4ª série. E tem a necessidade quase insuportável de escolher um lado para humilhar o outro. Com tantos anos de internet, aprendi que, numa treta dessas, quase sempre está todo mundo errado. E não é preciso todos esses anos de internet para perceber que o tal Peter Stenson, dono do hotel, foi babaca. Pode ter ficado ofendido a ponto de escrever tudo isso, mas poderia ter mandado só pra ela. Não. Publicou em seu Facebook e transformou a coisa em um showzinho, com objetivos claros de divulgação de seu hotel e de sua posição firme. Não disse o nome de Elle, mas publicou um “print” do e-mail (confidencial) com o pedido de permuta. Logo descobriram que tinha sido pedido dela. Não foi muito difícil.

Youtuber pede permuta em hotel e recebe esculacho público

Rara imagem da internet em 2017, captada por satélites de alta tecnologia

O showzinho funcionou. Stenson (que, fique claro, tinha razão em sua argumentação, por trás de toda a ironia passivo-agressiva) ganhou muitos adeptos. Numa sala de 4ª série ouviria apupos infantis como “iaaaaaaaeeee…”, “moraaaaaaal…”, “na caaaaaara…”. Por outro lado, os seguidores de Elle e até colegas de Planeta Mimo ficaram ofendidíssimos e começaram uma campanha para derrubar as avaliações do hotel nos sites de hospedagem. Stenson fez um vídeo agradecendo pela publicidade gratuita. Conseguiu o que queria. E ela respondeu. 

Elle Darby fez um vídeo de 17 minutos que já tem mais de 1 milhão de acessos contando a sua versão. Nele, explica de forma bem didática como funciona o Planeta Mimo e a vida dos influenciadores de mídias sociais. Diante da repercussão negativa, bloqueou comentários e avaliações. “Do meu ponto de vista, de uma garota de gerencia seu próprio negócio de casa, eu não consigo ver nada de errado nisso”, disse. E tem razão. Quando dois querem jogar o mesmo jogo, bola pro mato. Pode estar desvalorizando o trabalho de quem produz outras formas de conteúdo, mesmo que de entretenimento? Pode. E está. Mas também faz parte do jogo.

Em certo momento ela diz que enviou o pedido para vários hotéis, e tem feito isso há anos. Nunca, ela afirma, recebeu uma resposta tão grosseira como esta. E tem razão de novo. Não quer brincar, não brinca e pronto. Não precisa ser um babaca. Aliás, na vida, se a gente tem a opção de ser ou não ser babaca, é sempre melhor não ser. Na vida, eu digo. Na internet já não é assim, e nada pode ser feito.

Paul Stenson é um babaca muito conhecido na internet. E entende bastante dela. Já arrumou polêmica com vegetarianos, com grávidas e até com... você! Sim, você, brasileiro. Você pode não lembrar, mas, em fevereiro de 2016, ele foi alvo de uma campanha difamatória do blog Capinaremos depois de ter feito um post ironizando um candidato brasileiro a um emprego no hotel. Stenson considerou delirantemente engraçado o fato do brasileiro pronunciar a palavra kitchen (cozinha) como chicken (galinha).

Youtuber pede permuta em hotel e recebe esculacho público

E o problema nem foi a piadoca sobre o sotaque. Foi a reação de continuar zoando depois das acusações de xenofobia, como no post em que ofereceu depilação brasileira (brazilian wax) grátis para quem fizesse avaliações de cinco estrelas. 

Youtuber pede permuta em hotel e recebe esculacho público

Elle é apenas a nova vítima de Stenson, especialista em transformar polêmicas em dinheiro e publicidade gratuita. Ela afirma ter recebido uma sequência de ofensas via Twitter, YouTube e Instagram, onde concentra sua atividade de influenciadora digital. E diz que a maioria foi de pessoas de mais de 30 anos, que “não entendem como as mídias digitais funcionam” e não aceitam uma jovem de 22 anos querendo ganhar a vida honestamente. Aí eu volto a discordar, porque não tem idade para ser babaca, e na internet isso começa bem cedo. Não é um abismo geracional, é a pura necessidade que algumas pessoas têm de destruir a vida de outras sustentadas pelo anonimato. A origem é a mesma que nos faz parar na rua para olhar quando vemos uma briga. E alguns de nós só não tomam partido na hora porque seríamos imediatamente julgados por nossa atitude. E ser julgado é ruim, né? Pois é.

“Eu não poderia deixar essa passar sem me pronunciar”, disse Elle em seu vídeo sobre a polêmica. “Se você me colocar na fogueira, eu vou fazer o mesmo com você. E advinha quem vai ganhar?” Tendo a chance de sair por cima, Elle resolveu responder babaquice com babaquice. E em nenhum momento desencorajou seus fãs que promoviam a campanha difamatória contra o hotel. Aliás... Olha só o gráfico de menções ao nome do hotel na internet nos últimos 30 dias. Tente descobrir quem entende mais de internet: 

Youtuber pede permuta em hotel e recebe esculacho público

Se você leu até aqui tentando descobrir de que lado da treta eu estava, leu à toa. Para não te deixar ir embora sem nada, deixo um conselho de velho: Escolha qualquer polêmica idiota da internet… Escolheu? Antes de escolher um lado, informe-se. Quase com certeza todo mundo vai estar certo e errado ao mesmo tempo. Aproveite para ficar de fora e não passar vergonha junto.