ECONOMIA

Mais com menos

Author
Mais com menos

Escrevo este artigo com o intuito de trazer importantes ensinamentos como empreendedor, em como lidar com os recursos que temos em mãos.

Costumamos superestimar a importância de adquirir recursos e ao mesmo tempo subestimamos nossas capacidades de fazer mais com o que temos.

Estamos tão acostumados à lógica do desperdício, como quando precisamos concluir algo mais rapidamente, logo pensamos em aumentar a equipe, por exemplo.

Essa abordagem é intuitivamente e incrivelmente reconfortante, contudo, falha em produzir os melhores resultados, porque nos leva a não prestar atenção ao potencial dos recursos que já temos a disposição.

Raramente temos tanto recursos quanto gostaríamos, mas podemos aprender a fazer mais com o que temos, descobrindo maneiras mais criativas de usarmos os recursos já disponíveis para solucionar problemas, inovar e ter sucesso nos negócios.

Precisamos deixar de pensar compulsivamente em conseguir mais e mais recursos, e agir com as possibilidades que temos à mão, identificando o que elas podem realmente nos proporcionar.

Quando somos bem-sucedidos e realizados, nossa tendência é obedecer ao instinto natural de não desviar do caminho, seguindo rotinas sobre como usar recursos com base nos resultados de sucesso do passado.

Porém, em momentos de crise, nos quais nossos recursos ficam mais escassos, perseguir as metas se torna mais difícil, e é neste momento que podem surgir os melhores resultados, desde que tenhamos a mente aberta e os pés no chão!.

Precisamos ter prudência ao avaliar nossos recursos em relação aos dos outros. Essas comparações frequentemente nos impelem a buscar mais recursos, desvalorizando e desmerecendo o valor do que já temos.

Quando temos recursos de sobra, muitas vezes nossos pensamentos sobre o que podemos fazer com eles ficam ofuscados, impedindo-nos de nos dedicar com afinco a conseguir mais.

Muitas vezes acabamos coletando tantos recursos quanto possível, não porque temos uma meta específica em mente, mas pelo simples fato de queremos acumular cada vez mais. Essas atitudes podem nos custar muito caro no futuro!

Os indivíduos que estabelecem aspirações altas sentem-se, em geral, perpetuamente frustrados, sobretudo em comparação ao sucesso dos outros, pois se dão conta de que trabalharam duro pelos motivos errados.

Quando as pessoas têm alta responsabilidade pessoal por um projeto, aumentam seu comprometimento investindo recursos adicionais para tentar reverter uma situação específica, mesmo diante de opções mais promissoras.

Ter muitos recursos só faz crescer a tendência a desperdiçar ainda mais. Com tanto excedente à disposição, mesmo más ideias podem parecer boas!

Motivados pelo que os outros têm e impulsionados pela falta de apreço pelo que de fato temos, a mentalidade empreendedora se torna perseguidora e nos leva a trabalhar e viver na dependência de um fluxo constante de recursos, fechando a possibilidade de usar melhor o que já está à disposição.

Devemos deixar de pensar compulsivamente em conseguir mais e agir com as possibilidades que temos à mão, identificando o que elas podem nos proporcionar.

Precisamos sair da zona de conforto se realmente desejamos superar nossos objetivos.

Se olharmos para nossos recursos com atenção, identificaremos algo que pode nos diferenciar de nossos concorrentes e ser um elo fundamental para chamar a atenção dos clientes, tanto os atuais como os potenciais.

Esta capacidade de fazer mais com o que se tem disponível é, e continuará a ser uma habilidade essencial para quem deseja se destacar nos negócios, principalmente porque, nos próximos 20 anos, o mundo vai mudar exponencialmente e esta habilidade se fará determinante para o sucesso.

_______________________________________________________________________

Artigo publicado no Jornal de Alphaville em 2 de Fevereiro de 2018 (Edição de n° 747)

_______________________________________________________________________