PUBLICIDADE

EMERGENTE - O Digital e a Revolução 3D

Author
EMERGENTE - O Digital e a Revolução 3D

A tecnologia muda as pessoas. Sempre foi assim. Mas, a tecnologia digital, que ganhou ubiquidade nas últimas décadas, provocou alterações comportamentais de alcance inédito. Ao facilitar as relações com o mundo e o acesso à informação, aumenta a autoconfiança para se relacionar, aprender e também para empreender.

Ao oferecer novas possibilidades ao indivíduo e facilitar suas trocas com o coletivo, a tecnologia digital faz com que cada pessoa, independentemente de origem socioeconômica ou geográfica, se sinta em condições de ser mais assertiva em suas atitudes. Esse empoderamento altera toda a correlação de forças da sociedade e gera efeitos avassaladores.

Estamos vivendo a primeira revolução na História da Humanidade que abarca as dimensões cultural, econômica e política. É literalmente uma revolução 3D, que envolve todo mundo, convida a todos a deixar de serem meros espectadores da História e passem a fazer parte – exatamente como ocorre quando vamos ao cinema ver um filme em 3D, mas com a diferença de que a participação de cada um altera em alguma medida o roteiro e pode mudar o desfecho.

A revolução 3D também é original em termos de sentido: genuinamente parte da base para o topo porque surge do indivíduo, extravasa para a sociedade, envolve as formas de geração de renda, atinge a esfera das instituições e, por fim, o Estado.

A tecnologia libertou a alma humana. Esse movimento emergente vem provocando mudanças inéditas em sua abrangência e potência.

É como se uma grande bolha de ar fosse libertada no fundo de um jarro. No seu caminho para a superfície ela agita o conteúdo, provoca ondulações, desarruma a tranquilidade. Esse movimento de emersão é, em sua essência, revolucionário.

A alma humana emergiu. E isso é uma grande notícia.

Todo esse movimento revolucionário de emersão exige análise porque aponta para caminhos que nem os mais geniais ficcionistas puderam antecipar e desenham cenários tão surpreendentes que deixam toda uma geração de líderes sem referências para balizar seus atos.

As pessoas ganharam poder e protagonismo. Seus sentimentos passaram a importar e a gerar efeitos em grande escala.

Equipamentos inventados há poucas décadas, sistemas desenvolvidos há poucos anos e novidades recentemente absorvidas foram capazes de mudar o jeito de viver. A tecnologia virou a melhor amiga dos pensamentos, emoções e sentimentos. Aproximou famílias e amigos que, com poucos cliques podem hoje viver a doce sensação de se comunicar com alguém querido, permitiu que cada pessoa pudesse valorizar sua rede de relacionamentos, distribui informação em tempo real sobre o que está acontecendo com nossos semelhantes, nos ajuda em nossos projetos pessoais e na geração de renda. Enfim, facilitou nossas trocas com o mundo. Tornou nossos cérebros mais permeáveis e férteis. E nossas emoções mais aparentes.

Graças à tecnologia, emergimos e nos tornamos mais gente. Por isso, estamos dando início a uma nova sociedade EmerGente. E se um dia alguma equação voltada a explicar o comportamento humano tenha funcionado, hoje não mais se aplicaria em razão das rápidas transformações da realidade. A grande revolução emergente já começou – em 3D. E precisamos encontrar nosso papel nela.