A Bola Pune
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
A Bola Pune
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
A Bola Pune
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Dedé vai operar joelho de novo e só voltará em 2017. Outros vivem o mesmo DRAMA

ABolaPune
há um ano7 visualizações

Ídolo dos vascaínos, Dedé só trocou o clube pelo Cruzeiro para ajudar na saúde financeira dos cariocas em 2013. Zagueiro de grande futuro, contudo, ele vive em Belo Horizonte o drama das lesões e quase não jogou nas últimas temporadas.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Foram 14 meses afastado até março de 2016, quando retornou. Dois meses depois, sofreu nova lesão no joelho e novo período longe dos campos. Nesta segunda-feira, em coletiva na Toca da Raposa, Dedé revelou que vai passar por nova cirurgia e só volta em 2017.

Dedé vai operar joelho de novo e só voltará em 2017. Outros vivem o mesmo DRAMA

O defensor será operado nos Estados Unidos. Ele sofreu uma recidiva na patela do joelho direito operado e precisará de novo processo cirúrgico.

A expectativa, agora, é que enfim fique pronto já no início da temporada que que. Como o zagueiro, outra jogadores passam por dramas semelhantes e também já miram o próximo ano.

Fernando Prass

Cortado da seleção olímpica, o goleiro do Palmeiras vai passar por cirurgia no cotovelo direito fraturado (que já havia operado em 2014) e fica longe dos campos por quatro meses.

Dedé vai operar joelho de novo e só voltará em 2017. Outros vivem o mesmo DRAMA

Lucas Fernandes

O jovem armador era a grande aposta do São Paulo para a articulação das jogadas. A revelação da base, entretanto, o jovem rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo em junho, operou, e só retorna em 2017.

Dedé vai operar joelho de novo e só voltará em 2017. Outros vivem o mesmo DRAMA

Breno

Outro são-paulino que teve de entrar na faca foi o zagueiro Breno. Ele era aposta para formar a defesa com Lugano no início da temporada, mas operou o ligamento cruzado do joelho direito e só estará em condições em 2017.

Dedé vai operar joelho de novo e só voltará em 2017. Outros vivem o mesmo DRAMA

Jefferson

Goleiro do Botafogo passou por cirurgia em maio após ruptura parcial do tendão do tríceps do braço esquerdo e não tem previsão de retorno aos gramados.

Dedé vai operar joelho de novo e só voltará em 2017. Outros vivem o mesmo DRAMA

Cazares

Meia equatoriano estava se destacando no Atlético-MG, mas sofreu grave lesão muscular (ruptura no tendão adutor da coxa direita) e só deve retornar no fim do ano.

Dedé vai operar joelho de novo e só voltará em 2017. Outros vivem o mesmo DRAMA

Wellington

Volante ainda cumpria suspensão por doping quando se machucou num treino do São Paulo. Passou por cirurgia no joelho direito e ainda acredita que volta para as rodas finais do Brasileirão, mas dificilmente será utilizado.

Dedé vai operar joelho de novo e só voltará em 2017. Outros vivem o mesmo DRAMA

Cleberson

O zagueiro do Atlético-PR fraturou a face na quinta rodada do Brasileiro e, no hospital, descobriu ainda que estava com problema no joelho e acabou operando. Volta só no início do próximo ano.

Dedé vai operar joelho de novo e só voltará em 2017. Outros vivem o mesmo DRAMA

Almir

Destaque e artilheiro do Bangu no Carioca, Almir negociava retorno ao Botafogo para disputar a Série A quando sofreu grave ruptura do tendão patelar do joelho direito, operou, e só retorna em oito meses.

Dedé vai operar joelho de novo e só voltará em 2017. Outros vivem o mesmo DRAMA

Bauza troca São Paulo por 'sonho'. Relembre 10 técnicos com trabalhos precoces

ABolaPune
há um ano26 visualizações

Um dia após falar que a cabeça estava apenas no São Paulo, Edgardo Bauza anunciou que deixa o clube para assumir a seleção argentina.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Sai após apenas 48 jogos, com campanha sem muito empolgar de 18 vitórias, 13 empates e 17 derrotas. Sem conquistas, deixa o clube após pouco tempo de trabalho para assumir o comando do país.

Bauza troca São Paulo por 'sonho'. Relembre 10 técnicos com trabalhos precoces

É a famosa proposta irrecusável. Aquela que o treinador não tem como falar não. Sai sem escrever seu nome no São Paulo, sem deixar uma identidade no clube, mas por razões que qualquer torcedor entende.

Deixar um clube com pouco tempo de trabalho já virou rotina na vida do futebol brasileiro. E, não apenas por demissões após fracassos, mas por sonhos altos, ajuda de amigo, propostas da vida... Veja treinadores que optaram por deixar times sem escrever o nome.

Emerson Leão

O treinador deixou o São Paulo em abril de 2005 após 45 jogos e o título paulista por uma "dívida de gratidão" e para ajudar um amigo no Japão, mas acabou demitido pelo próprio após somente quatro jogos. Não deve ter colaborado muito.

Bauza troca São Paulo por 'sonho'. Relembre 10 técnicos com trabalhos precoces

Mano Menezes

O treinador retornou ao clube agora, mas no ano passado fazia boa campanha e resolveu ganhar milhões na China, onde ficou pouco mais de seis meses, e saiu após apenas 16 partidas. Que não perca esta nova chance do Cruzeiro.

Bauza troca São Paulo por 'sonho'. Relembre 10 técnicos com trabalhos precoces

Juan Carlos Osório

Outro técnico que deixou o São Paulo para assumir uma seleção. Ficou pouco mais de quatro meses no Morumbi e optou por dirigir o México, onde foi eliminado com surra de 7 para o Chile na Copa América e já tem o trabalho contestado.

Bauza troca São Paulo por 'sonho'. Relembre 10 técnicos com trabalhos precoces

Guto Ferreira

Em nove meses, treinador fazia ótimo trabalho na Chapecoense, onde conquistou o Catarinense e estava brigando entre os primeiros do Brasileirão, mas optou por "desafio tentador" de assumir o Bahia. Em dois meses de Salvador, não repete o sucesso de Santa Catarina e amarga o 10° lugar da Série B.

Bauza troca São Paulo por 'sonho'. Relembre 10 técnicos com trabalhos precoces

Doriva

Resgatava o bom futebol na Ponte Preta, mas com dois meses de trabalho deixou o clube para "fazer história" no São Paulo. Foi demitido do Tricolor com pouco mais de um mês de trabalho, com só 33,3% de aproveitamento em sete jogos.

Bauza troca São Paulo por 'sonho'. Relembre 10 técnicos com trabalhos precoces

Júnior

Ídolo do Flamengo, prometia conquistar a torcida do Corinthians, mas após uma semana, se assustou com a pressão no Alvinegro e jogou o boné. Saiu pelas portas dos fundos, com fama de amarelão.

Bauza troca São Paulo por 'sonho'. Relembre 10 técnicos com trabalhos precoces

Marcelo Bielsa

Treinador argentino assumiu a Lazio, da Itália, cheio de planos, e dois dias depois já abandonava o barco crente que seria o escolhido para o comando da seleção de seu país.

Bauza troca São Paulo por 'sonho'. Relembre 10 técnicos com trabalhos precoces

Guillermo Schelotto

Argentino de 42 anos ficou só um mês no Palermo, no começo do ano. Ele se cansou de esperar pelo visto de trabalho da Uefa e optou por voltar ao país.

Bauza troca São Paulo por 'sonho'. Relembre 10 técnicos com trabalhos precoces

Muricy Ramalho

Bandeira de Mello tem um vício: trocar treinadores no Flamengo. Mas ao acertar com Muricy Ramalho, acreditava ter comando para anos. A saúde debilitada do técnico, contudo, abreviou o passagem para apenas seis meses e nada de títulos.

Bauza troca São Paulo por 'sonho'. Relembre 10 técnicos com trabalhos precoces

Diego Aguirre

O uruguaio chegou ao Atlético-MG sob enorme respaldo da direção, que apostava em muitas conquistas dele no clube. Após 31jogos, Aguirre pediu demissão após três fracassos (queda na primeira fase da Liga, derrota na final do Mineiro e eliminação na Libertadores). O clube aceitou a demissão na hora.

Bauza troca São Paulo por 'sonho'. Relembre 10 técnicos com trabalhos precoces
Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
ABolaPune
Equipe Storia Brasil