DESIGN

5 soluções caras que a publicidade vendeu para problemas inexistentes

Alexandre Ribeiro
Autor
Alexandre Ribeiro

Há quem diga que o mundo da publicidade existe com uma única função: criar um problema para, em seguida, fazer dinheiro vendendo uma solução. Pode não ser uma verdade absoluta, mas não deixa de ter sua dose de razão.

5 soluções caras que a publicidade vendeu para problemas inexistentes

E, no mundo atual, com tanta coisa sendo inventada a todo tempo, a publicidade é ainda mais essencial. Só que tem horas que o povo passa do limite. Foi o que aconteceu nesses cinco casos abaixo, quando tentaram nos vender soluções caras para problemas que nunca existiram de verdade.

1. Juicero

É “o” assunto do momento no mundo do marketing. O Juicero é uma máquina que custava US$ 699, com WiFi e tudo mais, que tinha uma grande função: esmagar pedaços de frutas e fazer um suco saborosíssimo. Um detalhe importante: ele só esmaga frutas que vêm dentro de sachês feitos especialmente para o Juicero e que custam entre US$5 e US$ 8 cada. 

Só que aí veio a bomba. O canal Bloomberg News fez uma experiência e mostrou para o mundo todo ver. O Juicero - a máquina - é completamente dispensável. Se você comprar os sachês e espremer com as mãos, o resultado é o mesmo. E nem precisa de tanta força assim, já que os pedaços de fruta dentro dos sachês já vêm pré-amassados. Logo, você deixa de gastar US$ 700!

2. HelloFresh

Você paga uma assinatura e recebe comida fresca na porta de casa para você preparar. Não é aquela comida congelada que vai facilitar sua vida. É como se alguém fosse ao mercado para você, mas tudo vem numa quantidade certinha, medido e pesado para cada refeição. Na real, só poupa seu tempo de ir ao mercado. Você ainda precisa cortar, descascar, temperar, assar, etc, e tal.

3. Washboard

5 soluções caras que a publicidade vendeu para problemas inexistentes

Era uma startup americana para tratar de um problema bem americano: a falta de moedinhas para usar nas lavanderias (porque lá ter máquina de lavar em casa é algo bem menos comum do que no Brasil). Pra resolver esse “problema”, criaram uma solução que aqui a gente chamaria de câmbio negro: você paga US$ 27 e recebe um saquinho com 80 moedas de US$ 0,25. É como se você pagasse 33 centavos por cada moedinha de 25. Óbvio que não tinha futuro.

4. Caneta espacial

Como escrever no espaço, onde a gravidade é zero e a tinta não fica sempre concentrada na parte da caneta que não fica mais próxima do papel? A NASA tinha esse problemão. Por isso, uma empresa chamada Fisher gastou US$ 1 milhão para desenvolver a caneta espacial, que usava ar pressurizado em um cartucho vedado. Isso forçava a tinta a sair sempre pela frente da caneta. Funcionava no espaço, na Terra e até embaixo d’água. E gastaram UM MILHÃO DE DÓLARES para isso. Os russos resolveram o mesmo problema usando lápis.

5. The Eye

Esse aqui é realmente criativo. Sabe a pessoa que precisa andar com dois smartphones ao mesmo tempo? Um para o trabalho e outro pessoal, sabe? Então… Para isso, foi criado o “The Eye”, uma capa de iPhone que também é um telefone Android que fica grudado ao seu iPhone. E você paga US$ 189 por isso, também perdendo o uso das duas câmeras principais. Curtiu? Não? Uma fita adesiva também resolve se você tiver esse “problema”.