ENTRETENIMENTO

Better Call Saul voltou no ritmo de sempre, e isso é ótimo

Alexandre Ribeiro
Author
Alexandre Ribeiro

Após o fim da segunda temporada, produtores de Better Call Saul avisaram: a série ganharia um ritmo mais acelerado. Até Bob Odenkirk chegou a dizer que gostaria de mais velocidade nos acontecimentos. Foram declarações recebidas com uma certa angústia pelos fãs. Afinal, parte do charme de Better Call Saul - e de Breaking Bad - é claro, é que o espectador não via cenas aceleradas ou acontecimentos apressados. Tudo transcorria no seu tempo, criando expectativa até a chegada ao clímax no fim da temporada.

Better Call Saul voltou no ritmo de sempre, e isso é ótimo

Pois Better Call Saul está de volta. A terceira temporada começou com o episódio “Mabel”, e os fãs podem comemorar. Nada acontece mais rápido do que deveria. E, ainda assim, o S03E01 de BCS tem muita coisa - e muita coisa tensa - acontecendo ao mesmo tempo. Por isso, dá para dizer que a série está, sim, mais dinâmica, mas na mesma velocidade que fez todo mundo se apaixonar por Breaking Bad lá atrás.

! ! ! ALERTA DE SPOILER ! ! !

Okay, a partir daqui, não dá para avaliar o episódio sem mencionar os fatos e o andamento da história. Logo, se você não quer saber o que acontece antes de ver o episódio, pode rolar a página e pular para o texto seguinte. 

O que faz de “Mabel” um episódio excelente são as histórias simultâneas. Não há um momento sem tensão, seja no drama de Jimmy com Chuck e o novo escritório com a sócia Kim, seja no relato de como alguém descobriu as intenções de Mike e deixou um recadinho “DON’T” no para-brisas.

Sobre Mike, aliás, vale ressaltar mais uma grande atuação de Jonathan Banks, que tem muito tempo de tela e pouquíssimas falas. Ainda assim, o ator diz tudo que precisa quase sem abrir a boca. É brilhante.

Além disso, “Mabel” ainda tem o momento mais intrigante de todos: um novo flash forward pós-Breaking Bad para uma cena com Saul trabalhando de gerente com o nome Gene. E tudo leva a crer que a nova vida do ex-advogado levará a mais uma encruzilhada na vida de Jimmy/Saul/Gene.

Por que o episódio é tão bom? Porque, logo de cara, faz a história andar. E mais do que isso: faz a coisa caminhar para O QUE gente sabe que vai acontecer (todo mundo viu Breaking Bad, né?), mas sem dar pistas demais de COMO isso vai acontecer. Está aí toda genialidade de Better Call Saul, exibida em toda sua glória em “Mabel”. A terceira temporada não poderia ter começado muito melhor.