OUTROS

Ele destruiu dois casamentos. E agora dá 16 dicas do que não fazer numa relação!

Alexandre Ribeiro
Author
Alexandre Ribeiro
Ele destruiu dois casamentos. E agora dá 16 dicas do que não fazer numa relação!

Dan Pearce parece um cara legal. Blogueiro e um homem-família, com uma boa parentela. Dia desses, estava ele com a irmã mais nova, nas vésperas do casamento dela, entre um papo amigo com o restante dos irmãos sobre relacionamentos. Todo mundo tinha conselhos para dar: é preciso ceder no casamento, um casal é um time e tudo é pensado a dois, etc. Nenhuma das dicas foi mais valiosa, no entanto, do que as de Dan. 

Por quê?

Porque Dan é novo e já se divorciou duas vezes.

E foi então que, com esse jeitinho Ross Geller, de Friends, ele descobriu que poderia contribuir muito mais para o futuro promissor da irmã caçula: com 16 pérolas de sabedoria sobre como não acabar com o próprio casamento.

#1 Não pare de segurar a mão dela

Pelo amor de Cristo amado, não é para agarrar a pobre o tempo todo. É apenas para você ter em mente que as pessoas precisam de toques de vez em quando. Carinhos singelos e sutis, como dar-se as mãos na rua e outros lugares públicos. Isso, para Dan, foi um sinal de que ele não queria mais fazer esforços para estar perto da esposa.

E se tivesse que fazer novamente?

Daria as mãos a ela eternamente, mesmo quando houvesse momentos nos quais ele não iria querer segurar as mãos dela por alguns motivos.

Ah! E ele diz o seguinte: “Quando você dá as mãos no inverno, elas não ficam geladas. Verdade!”

#2 Não pare de tentar ser atraente

Obviamente quando ele estava tentando trocar uma ideia íntima com as moças, ele se aprumava todo. Passava colônia, fazia barba, dava uma geral no “palhaço”... E, por alguma razão, ele parou de ter cerimônias. Porque o casamente traz um lado ótimo da intimidade, mas também traz um certo relaxamento de certos “mistérios” como depilar-se na frente um do outro, segurar os gases e comportar-se com um lorde uma lady, como no dia em que os dois começaram a sair.

Ele destruiu dois casamentos. E agora dá 16 dicas do que não fazer numa relação!

Por isso ele diz que se pudesse voltar atrás, se manteria num nível de desejo para ela, não relaxando tanto consigo mesmo.

E mais: ele diz que se o camarada dá uma aparada dos cabelinhos das “partes”, é muito provável que ela se sinta convidada a fazer uma brincadeira na região. É só se colocar no lugar dela, né?! ;o)

#3 Não fique apontando sempre as fraquezas e os erros dela

Pois é... em algum momento da relação, aquele lance de fazer elogias passa e dá lugar a uma chuva de críticas muito sem sentido. Na verdade, tem raízes em nós próprios. É o que Dan explica: “quando namorávamos, eu vivia levantando a moral dela, colocando-a para cima”. Depois, ele revela que não havia um ovo mexido que ela fizesse que ele não dissesse o que ela poderia ter feito melhor.

Ele percebeu que há mais de uma maneira de se fazer as coisas. E que criticar pode ser um vício. Por isso, não abriria mais a boca para falar qualquer coisa que fosse sem importância. Hoje ele vê que as “imperfeições” dos outros são belas também e são até interessantes.

E ainda conta que, quando você faz um elogio a ela, a mina vai devolver outro elogio a você. E ainda contar para as amigas dela, para o dentista dela, a família dela, etc. 

#4 Não pare de cozinhar para ela

Eu sabia como conquistar uma moça. E o segredo para uma noite na casa dela era cozinhar um prato bacana e ter uma noite romântica. Então, por que diabos a pessoa parou de fazer isso depois que se casou com a moça? Acredite, irmão, ela já passa muito mais do tempo dela na cozinha por você do que o contrário. Não custa retribuir e deixar a moça feliz, né?! Pelo menos uma vez ao mês, vai... Uma vela acesa de vez quando também acende muitos sentimentos legais. Acredite!

#5 Não grite

Não é o grito de raiva. É a maneira preguiçosa de pedir as coisas e chama-la quando: você não quer levantar do sofá, quando não quer subir para o segundo andar de casa e perguntar alguma coisa, quando quer um copo d’água sentado na mesa de trabalho... Não grite. Aproxime-se e peça, sem o ar autoritário que o grito dá, sem querer.

Se Dan tivesse que refazer o casamento, ele procuraria não gritar mais com ela. Acho até que nem se fosse para pedir papel higiênico no banheiro.

E nessas, ele garante que você pode pegá-la fazendo algo que você jamais iria ver de outra maneira.

#6 Não a chame por nomes ruins

Dan descobriu nos casamentos que ele é o tipo de pessoa que dá nomes. Nomes ruins. Não que ele chamasse a ex-mulher de idiota e estúpida. Mas sabe aquela que de chamar a outra pessoa de teimosa e às vezes subentender que o outro não é muito esperto? Isso não. Ás vezes, em um relacionamento longo isso acontece mesmo, mas deve ser evitado.

Dan recomenda que, quando você começar com o desrespeito e com a impaciência a ponto de começar a agredir, mesmo que ligeiramente, volte duas cassas. Dê um tempo e volte ao assunto depois. Nomes, só se forem carinhosos entre quatro paredes.

#7 Não seja mão de vaca

Como Dan era o maior provedor financeiro da relação, ele sempre era o cara chato, mão de vaca, controlador, etc. Reclamava de tudo que tivesse que abrir a carteira. Mas, sério: ele gastava com coisas para ele que ele achava importante, então porque não dar aquele xampu melhorzinho que a ex-mulher queria? Era muito estresse.

Por isso, ele faria diferente em acreditar nas decisões dela também. Ah! E para cada decisão ruim dela, compense com outra bacana para si mesmo, como aquele celular que você já estava de olho antes. Nada que irá arruinar a conta bancária tipo um carro.

#8 Não discuta na frente das crianças

Nenhuma briga e nenhum argumento vale um trauma à toa na criança. É egocêntrico demais. Se Dan pudesse fazer tudo de novo, ele diz que jamais voltaria a discutir ou levantar a voz ou contestar a ex-mulher na frente das crianças. Talvez até inventasse uma palavra que significasse “não na frente das crianças”.

O lado bom de se fazer isso é que, quando você espera para brigar, geralmente a raivinha já passou e os dois percebem que os motivos eram meio idiotas.

#9 Não encoraje o outro a pular o dia da academia

Ele sempre acreditou que era amor dizer para a esposa “eu te amo como você é e você não precisa de academia”. Mentira deslavada. Dan gostava dela porque a boa forma estava evidente. E, para isso, era preciso continuar a malhar, a se alimentar bem... É importante querer estar bem consigo para manter algum sex appeal e saúde!

Dan revela que se voltasse com a ex, diria a ela que o encorajasse a malhar e ir a uma academia e não ficar passando a mão na cabeça do preguiçoso que não queria ter trabalho nenhum.

Além do mais, “exercícios geram endorfinas e isso faz a gente feliz. E pessoas felizes não matam as outras.” Lembram desse filme?

#10 Não faça cocô de porta aberta

Não. Nem vou explicar o motivo.

#11 Não pare de beijá-la

Não é para se tornar um carrapato sanguessuga e nem se dependurar na moça por qualquer coisa. É que o beijo é um termômetro de relacionamento. Os casais que se beijam muito namoram. É prazeroso, dá vontade de sentir a outra pessoa. Mas em um casamento algo acontece que esse tesão passa. Aquela coisa de início de namoro amorna e fica um clima meio que de rejeição no ar, como se a chama (brega isso, hein?!) tivesse abandonado o romance. E as brigas começarão por essa causa.

Não tem receita: beije. Sempre que quiser um carinho ou sentir que ela precisa de um e está te mandando sinais muito sedutores.

#12 Não pare de se divertir com ela

A idade não importa: o importante é deixar que as duas crianças que os dois são no fundo brinquem de vez em quando. Casais não devem parar de se divertirem juntos porque a vida passa muito rápido e, quando você se dá conta, não riu o suficiente. Ou acabou descobrindo a alegria com outras pessoas. Quem tem na esposa ou no marido uma amizade verdadeira não para nunca de rir e se divertir na companhia um do outro. Dan diz, inclusive, que faria uma regra de jamais ficar em casa dois fins de semana seguidos. Nem que seja para um piquenique no parque ou uma praiana.

Aliás, os bons momentos e as boas histórias são feitas dessas atitudes. Não de ficar jogando vídeo-games e vendo séries de TV.

#13 Não se pressionem

Dan explica que isso faz com que ambos comecem a sentir pelo outro ressentimentos. E aí a coisa fica bem feia e chata. Deixe a mina ser quem ela é, de usar o que gosta, de ter o hobbie que a faz feliz... e contigo é a mesma coisa. Apenas pressione-se para ser uma pessoa melhor e doar um pouco mais de amor a esse mundo tão carecido desse sentimento.

Se Dan pudesse voltar atrás, iria compreender certamente que uma única situação tem, no mínimo, três pontos de vistas: o dele, o dela e o correto. Então, para que se estressar, né?! Ele até relaciona as divergências com uma boa sessão de massagem no pé.

#14 Não rotule a parceira negativamente

Sabe aquela coisa de ficar dizendo “você deveria...” “você é...” “você não é...”. Para que apontar e rotular. E às vezes é um erro grave de julgamente que nem se fundamenta na realidade. É só a maneira como você enxergou algo do lado de fora e nem sequer percebeu como você contribuiu para que o outro tivesse a reação negativa que você rotulou. Aí é #phoda.

Se Dan tivesse chance de fazer tudo de novo: morderia a língua.

#15 Não fuja de coisas que são importantes para ela

É tão fácil fugir de coisas que ela curte e acha importante quando se está casado... E no namoro não é assim, né?! O argumento é de que “a gente pode encontrar coisas que nós dois gostamos”. E isso é uma desculpa muito da esfarrapada. É que às vezes a única coisa que ela precisa saber é que você está com ela.

Ele destruiu dois casamentos. E agora dá 16 dicas do que não fazer numa relação!

Por isso, Dan insiste que é importante ir aos eventos dela e nas coisas que ela acredita serem muito importantes. E sem fazer cara feia e ser uma companhia ruim. Você vai ver que isso sempre tem uma recompensa boa tarde da noite.

#16 Não se distancie emocionalmente depois de uma briga

Se a cabeça estiver quente, dê um tempo, mas assim que a raiva passar, volte a falar com ela. O distanciamento não melhora as coisas. Só piora.

Por isso, ele diz que é importante comunicar emoções e sentimentos com maior frequência. Coisa que homem nunca curtiu e nem foi muito habituado a fazer. Tem coisas que precisam ser ditas e precisam ficar claras, sem ofensas. Apenas para que o outro possa te entender melhor.

Ah! E o sexo para fazer as pazes depois disso é um dos melhores.

----------

Por Pilar Magnavita

#relacionamentos #divórcio #romance #brigasdecasais #gente