BEM-ESTAR

Ele inventou a droga do doping de Sharapova e agora tem a solução pro alcoolismo

Alexandre Ribeiro
Autor
Alexandre Ribeiro

Ivars Kalvins é um cidadão ousado. O químico letão, hoje com 70 anos, foi o inventor do meldonium, droga muito popular entre atletas russos e que foi proibida pela Agência Mundial Antidoping (WADA, na sigla em inglês) no início de 2016. Foi por essa substância que Maria Sharapova acabou flagrada e suspensa do circuito mundial de tênis.

Ele inventou a droga do doping de Sharapova e agora tem a solução pro alcoolismo

Mas agora Kalvins tem outra invenção revolucionária - pelo menos segundo ele mesmo. O químico e pesquisadores do Instituto Letão de Síntese Orgânica anunciaram a criação de uma droga que promete dar um fim ao alcoolismo. E o método é simples: fazer o usuário feliz (ilustração acima via Pixabay).

Seu princípio é baseado no efeito de substâncias vegetais biologicamente ativas que estimulam o hormônio da felicidade e seu efeito no cérebro humano. A pessoa que sofre de alcoolismo precisa de grandes doses de álcool para estimular esse mesmo hormônio. A nova droga de Kalvins promete efeito semelhante.

O remédio, ainda sem nome, vem recebendo boas avaliações na comunidade científica. Os pacientes que se sujeitaram a testes têm mostrado níveis reduzidos de dependência alcoólica. Kalvins só alerta para um detalhe: a droga não pode ser usada como um remédio comum. 

“É um meio para ajudar aqueles que querem deixar de beber a lutarem contra o álcool. A droga não vai te ajudar se estiver na companhia de um amigo que te estimule a beber. Nesse caso, o que se necessita não é um medicamento, mas força de vontade.”