ESPORTES

Football Manager radicaliza leis em simulação de Brexit

Autor

Ninguém pensou nisso quando comprou Football Manager (ou FIFA ou PES), mas os programadores da Sega não deram bobeira. Desde a votação do Brexit - a Grã-Bretanha sairá da União Europeia - o tema está no ar. Como as leis de imigração afetarão a Premier League, campeonato mais rico do planeta, que paga fortunas a craques de toda parte do planeta?

Football Manager radicaliza leis em simulação de Brexit

Bom, o povo da Sega é preocupadíssimo com o realismo do game. Não é por acaso que FM é reverenciado há mais de uma década, quando ainda se chamava Championship Manager (CM). O que eles fizeram, então, para simular o Brexit? Criaram três cenários e colocaram no FM. Em cada carreira, o game escolhe aleatoriamente um desses cenários e o coloca em efeito.

Até aí, tudo bem. O que complica mesmo a vida da galera é que um desses cenários, o “hard Brexit”, é super rígido. Nele, só poderão ficar no campeonato inglês jogadores com histórico de excelência e atuações nas seleções de seus respectivos países. Resumindo: muita gente teria que deixar a Premier League. E aí, meu amigo, o gamer que se vire!

Football Manager radicaliza leis em simulação de Brexit

Com a legislação radical do game, o que acontece é que os jogadores ingleses ficam mais valorizados, já que é mais difícil contratar estrangeiros. Outra consequência é o fortalecimento de clubes de outros países europeus. Sem a grana da PL entrando, clubes de países como Bélgica e Holanda vendem menos e conseguem manter seus times mais fortes por mais tempo. E aí os ingleses perdem pelo menos parte da sua enorme vantagem financeira.

Quer experimentar? Clique o link abaixo e faça o download da versão demo. Se gostar, ele custa 50 doletas.