CIÊNCIA

Gamers podem pilotar drones de combate, e já tem militar falando sério sobre iss

Autor

Pensa bem: uma tela mostrando a câmera on-board, um mapa com coordenadas, um teclado e um joystick sofisticado. Muitos de vocês, gamers, jogaram algum simulador de voo com uma estrutura parecida. E é mais ou menos assim que drones de combate são operados, a milhares de quilômetros de distância da zona de guerra, em uma salinha fechada.

Gamers podem pilotar drones de combate, e já tem militar falando sério sobre iss

Não é de se espantar que, cedo ou tarde, alguém chegaria a essa conclusão: gamers são, sim, capazes de operar drones de combate. É por isso que um marechal aposentado da Força Aérea Real Britânica (a RAF) pede que pessoas com esse perfil sejam selecionadas para trabalhar junto aos militares. Há vários fatores que jogam a favor da teoria do marechal Greg Bagwell.

1. Físico

Primeiro, operadores de drones não precisam do rígido treino físico necessário para pilotar um avião e resistir à força da gravidade. Pilotos de drones ficam sentados em uma salinha fechada o tempo inteiro. O único desgaste é o estresse mental, mas quem nunca passou horas e horas jogando videogame como se sua vida dependesse daquilo?

2. Coordenação Motora

Quem já jogou qualquer simulador de voo (ou até mesmo um simulador automobilístico) sabe que é preciso manejar vários botões, memorizando o que cada um faz e sabendo a hora de certa de usá-los. Quem faz isso não teria grande dificuldade para operar um drone.

3. Reflexos

O marechal Bagwell disse em uma audiência parlamentar que a RAF deveria recrutar meninos de 18 e 19 anos “direto de seus PlayStations”. Gente com reflexos apurados e, principalmente, frescos. Coloque um gamer de 18 anos ao lado de um operador de drone de 40 anos e você vai ver a diferença.

A busca por novos pilotos de drone se tornou prioridade porque há falta de gente qualificada no mercado de trabalho. Além disso, muitos operadores pediram dispensa por causa de problemas mentais ou estresse. A RAF precisa de gente nova, e gamers são o alvo da vez.