ENTRETENIMENTO

Reality show de Thammy e Gretchen vai mudar a cabeça do cidadão de bem?

Autor
Reality show de Thammy e Gretchen vai mudar a cabeça do cidadão de bem?

                                                                Gretchen e Katy Perry

Se tem alguma coisa que dá certo na televisão brasileira são os programas para cuidar da vida alheia. Na verdade não é nem só na televisão, na internet funciona assim também. Podemos ver no facebook, instagram, twitter e outras redes sociais como as pessoas gostam de prestar mais atenção na vida dos outros do que na própria.

Acho até que é um erro meu dizer que isso é só na televisão e na internet brasileira, arrisco dizer que esse é um problema do ocidente, pelo menos dos países afetados pela imperialismo norte-americano.

É possível ter certeza de tais fatos ao ver o sucesso que fazem os programas como "Big Brother Brasil", "A fazenda", "Casa dos artistas", até mesmo aqueles para um público mais empreendedor, como "O aprendiz". Isso tudo vem lá de 1973 quando uma emissora norte-americana lançou o primeiro reality show, o "Uma família americana", desde então o sucesso do gênero televisivo se espalhou pelo restante da América.

O grande problema é que poucos reality shows trazem coisas novas e crescimento para quem assiste. Big Brother Brasil, por exemplo, não passa de uma tomação de tempo dos telespectadores. É um programa que nada inclui na vida de quem assiste. Acho que até as novelas da Rede Globo trazem algo de bom quando tratam de assuntos que podem mudar o modo de pensar da galera. Por exemplo ao tratar da questão das pessoas transsexuais. Muita gente que tinha preconceito começou a enxergar o mundo de forma diferente ao ver tudo pelo que Ivana passou em A força do querer.

Reality show de Thammy e Gretchen vai mudar a cabeça do cidadão de bem?

                                                            Ivana, d' "A força do querer".

Thammy e Gretchen

Agora fica a questão: será que é possível produzir realitys shows que tragam algo inovador e ao mesmo tempo prendam a atenção do público?

Isso é o que a Gretchen disse que está preparando. No programa Altas Horas ela disse que está produzindo um relity show com seu filho Thammy Miranda. A cantora está aproveitando um "relançamento" na mídia depois de ter participado de um clipe da Katy Perry e receber elogios da cubana Camila Cabello.

A ideia dela é mostrar como foi o processo de aceitação da família quando o filho descobriu que na verdade era um homem que tinha nascido em um corpo diferente. "A gente vai ter muita coisa pra ensinar pra vocês a partir de abril no reality que nós vamos ter da nossa vida e que toda a família vai contar como aconteceu, como nós aceitamos... ela é super amada, ele é super querido. Não importa se é ele ou se é ela, é o meu filho", declarou a cantora.

Ainda no programa do Serginho Groisman, ela deu outra declaração:

"Foi difícil no começo. Você teve uma menina, gerou uma menina, criou como menina... E, daqui a pouco, ela olha para você, raspa a cabeça e diz que 'nasceu errado'. É uma coisa que choca. No começo é difícil pra todo pai e mãe aceitar. Mas na hora que você lembra que é aquele bebê que você gerou, não importa que sexo ele tenha. Se for perfeito, tiver saúde e for uma pessoa do bem, como meu filho é, não importa"

Más ou boas influencias?

Reality show de Thammy e Gretchen vai mudar a cabeça do cidadão de bem?

                                                    Gretchen e seu filho, Thammy Miranda.

Há quem acredite que seja pecado uma pessoa passar por cirurgias para ficar como se sente realmente bem. Essas pessoas podem até achar que o reality show será uma má influencia. Mas na verdade, pode ser que seja tão bom quanto, ou até melhor que a novela que foi muito elogiada.

Se elas conseguirem o que a Gretchen diz querer mostrar, terá tudo para ser um bom reality show. Mas, sinceramente, eu não sou tão otimista assim.

Tomara que elas consigam fazer um bom trabalho para conseguir reverter tudo isso de que a cantora reclamou no Altas Horas.

"Fazem brincadeiras ridículas com ele na internet. Não é um orgão sexual que faz um homem, ele tem que ser honesto, digno e respeitar as pessoas. Isso é ser homem. E meu filho teve muita coragem de assumir isso publicamente. Isso trouxe várias sequelas emocionais pra ele. Síndrome do pânico, depressão... que ele carrega até hoje porque é uma pessoa pública, filha de um símbolo sexual, que todo mundo esperava que ela fosse a minha sucessora. Mas quem é mãe de verdade ama o filho do jeito que ele é".

Esperamos ,então, que Thammy e Grtechen consigam, sim, mudar os pensamentos dos cidadãos de bem (ou de bens). Uma mudança para melhor, claro; uma mudança que vá na contramão do preconceito; algo que torne as pessoas que acham ser "de bem" em pessoas melhores que aceitem diferenças e não achem que tudo é coisa do demônio.