TV

‘Better Call Saul’ teima ao priorizar Chuck, não Gus, e nos dá uma lição

BingeWatchMe
Author
BingeWatchMe

ALERTA DE SPOILER: este texto contém informações sobre todos os episódios da terceira temporada de ‘Better Call Saul’. Favorite o link e leia depois de ter assistido a tudo.

‘Better Call Saul’ teima ao priorizar Chuck, não Gus, e nos dá uma lição

por Sheila Vieira

Quando vazou a informação de que Gus Fring (Giancarlo Esposito) enfim apareceria em “Better Call Saul”, a maioria dos fãs deste universo criado por Vince Gilligan imaginou que isso significaria uma mudança do foco principal da série para os esquemas criminosos entre Gus, Mike (Jonathan Banks) e Hector Salamanca (Mark Margolis), aproximando a série atual das tramas de “Breaking Bad”. Porém, as mentes por trás de “Saul” nos surpreenderam ao entregar uma terceira temporada quase inteiramente dedicada a Chuck (Michael McKean). Esta “teimosia” acabou nos premiando com alguns dos melhores episódios da televisão em 2017.

A frustração de acompanhar Chuck é um pouco parecida com o que sentíamos com Skyler (Anna Gunn) em “Breaking Bad”. Eles existem para contestar nossos anti-heróis e nós os odiamos por isso, mas a verdade é que eles sempre estiveram certos sobre Jimmy (Bob Odenkirk) e Walter White (Bryan Cranston), respectivamente. Chuck é arrogante demais para se livrar dos seus demônios e, mesmo assim, sua previsão de que o irmão machucará todos que ele ama é incontestável quando lembramos que Kim (a MARAVILHOSA Rhea Seehorn) jamais aparece em “Breaking Bad”.

Não tomo a última cena do episódio como um suspense, pois não é do feitio de Gilligan e Peter Gould insinuar que Chuck morreu, para depois dizer que ele escapou e nada mudou. Esta é uma série que assume as decisões que toma, e a de matar o irmão McGill mais velho parecia o caminho natural após a exposição de sua doença mental no incrível quinto episódio “Chicanery”.

Chuck não deixa a série porque é um personagem impopular, mas porque seu arco dramático tinha que acabar, deixando um profundo efeito em Jimmy, que descobriremos qual será na quarta temporada. Talvez este desenvolvimento abra mais espaço para os crimes de Gus, Nacho (Michael Mando) e Mike.

No entanto, a verdade é que Mike nem fez tanta falta no episódio final. Os produtores apostaram em seus personagens “originais” de “Saul”, e provaram que não dependem do carisma de Gus e Mike para fazer televisão de qualidade. E, por esta teimosia, eles também merecem o reconhecimento e o respeito do público.