TV

Há 20 anos, Ellen assumiu que era lésbica e foi duramente criticada por isso

BingeWatchMe
Author
BingeWatchMe

RESPECT.

Há 20 anos, Ellen assumiu que era lésbica e foi duramente criticada por isso

Como o ex-presidente Barack Obama (#voltaobama) disse no final do ano passado, ao dar a Medalha da Liberdade para Ellen DeGeneres, sua coragem ao se assumir lésbica em 1997 foi um ato de coragem de um tamanho que ainda não conseguimos dimensionar. E a comediante está comemorando o aniversário de 20 anos deste grande gesto com todas as honras necessárias.

O episódio em que Ellen saiu do armário, através de sua personagem, foi assistido por 42 milhões de pessoas e se chamou "O Episódio do Ursinho" por um motivo: quando a artista deu a ideia de revelar que seu alter ego era lésbica para explicar por que ela não saía com ninguém há anos, os executivos da emissora responderam que era melhor "dar um ursinho a ela, porque ela não vai se assumir".

Como mulher foda que é, Ellen bateu o pé e colocou o episódio no ar. Foi criticada por muito tempo por "forçar sua sexualidade na garganta dos outros" (#urgh) e a audiência de seu programa caiu até ele ser cancelado. Laura Dern, que interpretava a personagem pela qual Ellen se apaixonou, contou que ficou um ano sem conseguir trabalho, porque todos achavam que ela também era gay.

Dern e Oprah Winfrey, que participou do episódio como a terapeuta que faz Ellen perceber que era gay, estiveram no programa da apresentadora nesta sexta. As três comentaram sobre a onda de críticas que receberam após o evento, mas como aquela atitude acabou sendo benéfica para a sociedade como um todo a longo prazo.

"Foi a coisa mais difícil que eu já fiz na vida e eu não mudaria um momento, porque me trouxe a este momento aqui na frente de vocês. É uma alegria o fato de que todos vocês aqui e em casa me assistem e me aceitam em suas casas todos os dias, quando ninguém imaginava que isso seria possível novamente".

Você venceu, Ellen. E nós te amamos.