O papa é pop
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
O papa é pop
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
O papa é pop
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Força, Celulari! Veja outros famosos que também lutaram contra o linfoma

BingeWatchMe
há um ano39 visualizações
Força, Celulari! Veja outros famosos que também lutaram contra o linfoma
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Infelizmente, o ator Edson Celulari afirmou nesta segunda-feira que está fazendo tratamento contra um linfoma não-Hodgkin. A doença ataca estruturas do sistema linfático, como os gânglios linfáticos e os linfonodos, mas também pode debilitar outros órgãos, como medula óssea, cérebro e intestino.

Apesar de os dois tipos de linfoma (Hodgkin e não-Hodgkin) serem tipos raros de câncer, Celulari não é o primeiro famoso a lutar contra a enfermidade. Veja quem foram os outros:

Reynaldo Gianecchini

Em 2011, o ator global foi internado para tratar de uma faringite crônica, mas os antibióticos acabaram causando uma fortíssima reação alérgica. Exames mais específicos foram realizados e os médicos descobriram que havia um linfoma não-Hodgkin. O galã realizou quimioterapia e um transplante de medula no começo de 2012, fundamental para sua recuperação.

Força, Celulari! Veja outros famosos que também lutaram contra o linfoma

Joey Ramone

O vocalista do Ramones faleceu em 2001, um mês antes de completar 50 anos de idade, devido a um linfoma. A mídia não deu muitos detalhes sobre o caso na época, mas o roqueiro havia descoberto o câncer muitos anos antes de sua morte e fez forte tratamento por quatro anos. Ele ouvia a música “In a Little While”, do U2, quando morreu. Anualmente, um concerto é feito por seus amigos para arrecadar fundos para a pesquisa de combate ao linfoma.

Força, Celulari! Veja outros famosos que também lutaram contra o linfoma

Richard Harris

Intéprete de Albus Dumbledore nos dois primeiros filmes da saga Harry Potter, o ator irlandês faleceu por causa de um linfoma aos 72 anos, meses antes do lançamento de seu último filme, “Harry Potter e a Câmara Secreta”. 

Força, Celulari! Veja outros famosos que também lutaram contra o linfoma

Michael C. Hall

No auge de sua carreira e do seriado que protagonizava (Dexter), Hall descobriu o diagnóstico de linfoma Hodgkin. Porém, ele conseguiu que o câncer entrasse em remissão em menos de um ano e continuou a trabalhar. Pouco tempo após revelar a doença, em janeiro de 2010, Hall ganhou o Globo de Ouro de Melhor Ator em Série Dramática e foi aplaudido de pé pelos colegas.

Força, Celulari! Veja outros famosos que também lutaram contra o linfoma

Jacqueline Kennedy Onassis

Primeira-dama mais famosa da história (Diana tinha outro título!), Jackie Onassis virou um ícone mundial durante a curta presidência do marido John F. Kennedy, assassinado em 1963. Trinta anos depois, ela foi examinada após cair de um cavalo e os médicos viram que linfonodo estava inchado, mas achavam que era apenas uma infecção. Após ter novos sintomas, o linfoma não-Hodgkin foi descoberto. Ela começou o tratamento em janeiro de 1994, mas o câncer atingiu sua medula, cérebro e fígado, causando sua morte em maio.

Força, Celulari! Veja outros famosos que também lutaram contra o linfoma

Paul Allen

O co-fundador da Microsoft venceu a luta contra um linfoma não-Hogdkin em 1982, mas a doença retornou em 2009. Felizmente, o tratamento foi bem-sucedido novamente.

Força, Celulari! Veja outros famosos que também lutaram contra o linfoma

Ingrid Bergman

A estrela sueca, considerada uma das melhores atrizes de todos os tempos e vencedora de três Oscars, faleceu aos 67 anos em 1982. Bergman fez uma cirurgia para retirar um câncer de mama, mas um linfoma atrapalhou sua recuperação e causou sua morte.

Força, Celulari! Veja outros famosos que também lutaram contra o linfoma

Felizmente, o tratamento para os tipos de linfoma são mais eficazes atualmente, e o diagnóstico é feito de maneira bem mais rápida. Para um não-Hodgkin, a taxa de sobrevivência nos cinco anos seguintes à descoberta do câncer é de 69%. Força, Celulari!

#edsoncelulari #linfoma #cancer #lymphoma #michaelchall #reynaldogianecchini 

15 bandas que deixaram saudades e super deveriam voltar

BingeWatchMe
há um ano43 visualizações

Alerta: é uma lista eclética.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
15 bandas que deixaram saudades e super deveriam voltar

Estamos aqui em junho de 2016, mas você continua só escutando bandas antigas, que lançaram seus últimos álbuns há mais de 10 anos. Não é fácil conviver com o luto de um grupo querido que brigou e não existe mais. Sempre fica aquela sensação de que eles teriam se reinventado e continuado a escrever a trilha sonora da sua vida.

Não importa o seu gosto musical, é improvável que você não gostaria de ver pelo menos uma dessas bandas de volta:

The White Stripes

Até hoje ecoa pelos estádios de futebol do mundo o riff de “Seven Nation Army”, sem dúvida uma das músicas mais marcantes dos últimos 20 anos. Era improvável que Meg e Jack White continuassem trabalhando juntos tantos anos após o divórcio, e sempre foi óbvio que Jack gostava mais dos holofotes do que a baterista. Mas não há como negar que ver o ex-casal sozinho no palco criando um som incrível era uma grande experiência.

‘N Sync

Alô, galera das boybands! Os Backstreet Boys ainda estão por aí, felizmente, mas você também gostaria de reunir as amigas da adolescência para cantar “Bye Bye Bye” e “I Want You Back” junto a Justin Timberlake, JC Chasez e os outros três figurantes.

Pink Floyd

Claro que não poderíamos ter a formação clássica, já que Richard Wright e Syd Barrett já faleceram, mas muita gente teria um treco vendo Roger Waters e David Gilmour no mesmo palco de novo (eles participaram de uma reunião de um dia em 2005 e só). O último disco da banda foi lançado em 2014.

Led Zeppelin

Sim, você vai com seus pais roqueiros ao show do Robert Plant, mas sonha com um dia em que poderá ver a banda completa junta ao vivo. Não teria o baterista John Bonham, que já faleceu, mas poderiam colocar o seu filho Jason no lugar, como fizeram na reunião de 2007.

Rage Against the Machine

Em uma época em que Donald Trump tem chance de ser presidente dos EUA, as letras do RATM seriam muito bem-vindas. A banda fez sistemática oposição às políticas de George W. Bush pós-11 de setembro e não tinha medo de colocar o dedo nas feridas da hipócrita sociedade norte-americana.

Silverchair

A banda australiana de rock alternativo está inativa desde 2011, mas ainda ecoa em muitos iPods, celulares e computadores por aí. Eles eram capazes de combinar elementos pós-grunge com um rock mais melódico, que lembra o britpop. And I miss you looooove...

The Smiths

A gente ainda adora o Morrissey? Com certeza. Mas o brilho do nosso tiozão emo seria ainda maior junto aos seus ex-colegas de banda. Infelizmente, a reunião é bem improvável. Veja só o que ele disse: “Prefiro comer meus próprios testículos do que voltar com os Smiths, e olha que eu sou vegetariano”.

Genesis

Você ainda tem aquele VHS do Phil Collins ao vivo em Paris? Sim (ok, talvez seja só eu). Porém, a sensação de vê-lo sendo maravilhoso na bateria é ainda melhor. Não que a banda britânica esteja decepcionando os fãs: eles já fizeram vários shows na última década. Mas podia ter um álbum também, não?

Outkast

Heeeeeeeeeeeeeeeeeeey yaaaaaaaaaaaaaaaa. Hey yaaaaaaaaaaaaa! Andre 3000 e Big Boi se separaram em 2007 e deixaram um grande vácuo no hip hop. A dupla se reuniu em 2014 para o Coachella e alguns outros shows, mas não tem planos de lançar outro álbum.

R.E.M.

Abençoado seja quem teve a chance de ir ao Rock in Rio 2011 e ver a banda em seu último ano junta. Hinos como “Everybody Hurts”, “Losing My Religion” e “Shiny Happy People” agora só vivem em nossos fones de ouvido. Qual banda de rock hoje se aproxima tão bem do pop? Talvez o Coldplay, mas, mesmo sendo fã dos britânicos, o nível não é remotamente próximo da banda norte-americana.

Oasis

Quem não gostaria de ver os irmãos Gallagher se xingando em público novamente? Odeie-os ou não, o Oasis marcou época e continuava fazendo músicas decentes até nos anos 2000. E sabemos que Noel ainda sabe compor ótimas músicas pela sua carreira solo. Basta Liam ter um pouco de humildade. OKAY, IMPOSSÍVEL.

The Verve

Cause it’s a bittersweet symphony this liiiiiiiiife. A banda foi um pouco ofuscada na onda do britpop por Blur e Oasis, mas fez uma música mais “timeless” do que qualquer hit de seus grupos rivais. Eles fizeram uma reunião entre 2007 e 2009, mas não deu muito certo.

ABBA

Em uma época com artistas pop entrando de cabeça na música eletrônica, por que não reviver o grupo que faz todo mundo cantar e dançar há quarenta anos? O quarteto se desfez em 1982 e desde então ainda não fez uma reunião. O máximo que tivemos foi um grupo chamado A-Teens, com uns moleques fazendo covers deles, e o musical “Mamma Mia!”. Queremos mais!

Spice Girls

Imagina que legal ter um grupo pop feminino com mulheres que 40 e poucos anos? Seria diferente, mas o carisma do quinteto britânico certamente seria o mesmo. Elas se reuniram para uma turnê entre 2007 e 2008 e se apresentaram juntas no encerramento da Olimpíada em 2012.

Los Hermanos

HATERS TO THE LEFT. A banda carioca sempre foi alvo de muitas críticas de gente que mal conhece sua discografia. O fato é que “Bloco Do Eu Sozinho” é um dos melhores álbuns nacionais dos últimos 15 anos (você que discorda nunca escutou) e as letras de Marcelo Camelo e Rodrigo Amarante eram excelentes. De vez em nunca, eles fazem alguns shows juntos, mas o que a gente queria mesmo era um álbum.

Concorda? Discorda? Solte o verbo nos comentários!

#music #bands #reunion #thewhitestripes #nsync #ABBA #spicegirls #thesmiths #pinkfloyd #ledzepellin #rock #pop

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
BingeWatchMe
Equipe Storia Brasil