Esportices
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Esportices
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Esportices
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

7 modalidades onde o Brasil não conseguiu confirmar favoritismo nessa Olimpíada

Disputar uma Olimpíada em casa, sob o calor da torcida e o apoio da família é o sonho de muitos atletas. Mas há o ônus da pressão por conquista. E muitos brasileiros parecem estar sentindo o peso da cobrança.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Apenas num dia (16 de agosto), os brasileiros viram cinco candidatos a medalha - quatro favoritos ao ouro - darem adeus ao sonho olímpico. Outros deram adeus ainda na primeira semana e provavelmente mais algum baque ainda veremos até o fim dos Jogos do Rio. 

Todos choraram, assimilaram o baque, mas tiveram o consolo dos gritos de Brasil, Brasil e um ombro amigo com palmas de reconhecimento. Sim, apesar do pouco investimento, nossos atletas se superam, mas são cobrados em demasia e às vezes esmorecem.

Temos de lamentar as derrotas, concordo, mas no lugar das críticas, reconhecer o que de bom sempre recebemos desses times/atletas.

Enfim, veja a lista de quem acabou decepcionando na Rio 2016:

Futebol feminino
Nossas meninas tinham a grande chance de, enfim, buscar o ouro inédito para coroar Marta e Cristiane. Ainda mais após a queda dos Estados Unidos. Mas a atacante se machucou, chegou cambaleante à semifinal, e a equipe esbarrou num forte paredão defensivo da outrora freguesa Suécia, de quem sempre ganhamos (na fase de classificação, Marta e cia venceram por 5 a 1). O jogo foi para os pênaltis, e o Brasil perdeu por 4 a 3. Resta a consolação de buscar o bronze. 

7 modalidades onde o Brasil não conseguiu confirmar favoritismo nessa Olimpíada
7 modalidades onde o Brasil não conseguiu confirmar favoritismo nessa Olimpíada

Handebol feminino
A mesma história de quatro anos atrás: primeira fase impecável e queda diante da quarta colocada do outro grupo nas quartas. Após jogos arrasadores, ganhando de potências como a campeã olímpica Noruega, perdemos "para nós mesmos" como justificou o técnico Morten Soubak. Nervoso em quadra, o Brasil errou demais diante da Holanda (atual vice-campeã mundial, há de se ressaltar). Uma pena, essa geração de campeãs mundiais merecia melhor sorte em uma Olimpíada. 

7 modalidades onde o Brasil não conseguiu confirmar favoritismo nessa Olimpíada

Vôlei de Praia
A Olimpíada nem começou e a garantia era: teremos quatro medalhas no vôlei de praia. Uma pressão desnecessária nas nossas duplas, que realmente são muito boas e já confirmaram presença nas duas finais. Acontece que esse fardo desnecessário atrapalhou e custou a eliminação de Pedro Solberg e Evandro ainda nas quartas de final (já tinham feito uma fase de grupos aos trancos e barrancos) e de Talita e Larissa na semifinal diante das alemãs Ludwig e Walkenhorst - apesar das alemãs serem a atual dupla número 2 do mundo, as brasileiras eram consideradas favoritas.  

7 modalidades onde o Brasil não conseguiu confirmar favoritismo nessa Olimpíada
7 modalidades onde o Brasil não conseguiu confirmar favoritismo nessa Olimpíada

Judô
O Brasil ganhou três medalhas no judô, é bem verdade, mas mesmo assim esperava-se mais. A campeã olímpica de Londres/2012 Sarah Menezes era a maior aposta de ouro e nem bronze trouxe, assim como Tiago Camilo que tinha tudo para subir ao pódio olímpico pela terceira vez. Mayra Aguiar trouxe o bronze quando todos imaginavam o ouro. Não devem ser criticados, afinal esporte é assim, mas que ficou um gostinho de decepção no ar, ah, ficou. .

7 modalidades onde o Brasil não conseguiu confirmar favoritismo nessa Olimpíada
7 modalidades onde o Brasil não conseguiu confirmar favoritismo nessa Olimpíada

Vôlei Feminino
Por essa ninguém esperava. Talvez a maior barbada desta Olimpíada, nossas meninas vinham jogando o fino do vôlei. Conquistaram o Grand Prix e chegaram às quartas no Rio sem perder um set sequer e com belas surras em fortes rivais, como a Rússia. Mas numa noite infeliz, esbarraram no bom bloqueio chinês e despediram-se de forma precoce. Bem triste, ainda mais porque Sheilla e Fabiana já anunciaram a aposentadoria da amarelinha. Duas bicampeãs olímpicas que não se despedem como gostariam. Mas assim é o esporte e por isso que a gente se maravilha tanto com ele, não é?

7 modalidades onde o Brasil não conseguiu confirmar favoritismo nessa Olimpíada

Salto com vara
OK, Thiago Braz conquistou um ouro que ninguém esperava. Mas a grande expectativa da modalidade, mais uma vez, recaía sobre Fabiana Murer. A campeã mundial fez a melhor marca de sua vida há um mês no Troféu Brasil, com 4,87m e assumiu o primeiro lugar do ranking da modalidade. No Rio, era certeza de medalha. Mas um problema de saúde (hérnia) a impossibilitou de saltar 4,55m em três chances. Depois de perder as varas em Pequim e reclamar do vento em Londres, Murer deixa mais uma Olimpíada sem medalha. Não era a aposentadoria que imaginava certamente - ainda mais porque vai ter de conviver eternamente com as críticas por essas atuações abaixo do esperado em Olimpíadas. 

7 modalidades onde o Brasil não conseguiu confirmar favoritismo nessa Olimpíada

Vela
Robert Scheidt queria fechar seu ciclo olímpico aos 43 anos, com a sexta medalha em seis edições das Olimpíadas, não importava a cor, e se preparou muito para isso. Mas o brasileiro fez algumas regatas muito ruins no Rio, terminando acima do 20° lugar. Nem a vitória na chamada "medal race" (a regata final e mais importante) evitou que o brasileiro se classificasse apenas na quarta posição. Mesmo assim, segue sendo um herói nacional.

7 modalidades onde o Brasil não conseguiu confirmar favoritismo nessa Olimpíada

#Rio2016 #Brasil #medalhas #judo #vela #volei #futebol #marta

Com disputas emocionantes, Olimpíada TESTA OS NERVOS dos brasileiros

HAJA CORAÇÃO. O bordão de Galvão Bueno nunca esteve tão presente para os brasileiros como nesta Olimpíada do Rio. A adrenalina nas disputas de nossas equipes e atletas virou um verdadeiro teste para cardíaco.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Vamos relembrar (agora sem tanta tensão, por favor)?

Futebol feminino
Duvido alguém que não tenha roído unhas, se descabelado e até soltado um palavrão com a tensa disputa das quartas de final do futebol feminino entre Brasil x Austrália. MEU DEUS.

Com disputas emocionantes, Olimpíada TESTA OS NERVOS dos brasileiros

Marta e cia. nos deixaram nervosos do início ao fim. Bola na trave das rivais na prorrogação e depois Marta perdendo o último pênalti. A goleira BÁRBARA honrou o nome, nos salvou da queda precoce e depois garantiu a vaga. GIGANTE.

Com disputas emocionantes, Olimpíada TESTA OS NERVOS dos brasileiros

Talita e Larissa
As favoritas ao ouro no vôlei de praia fizeram muita gente pensar que mais uma vez teríamos uma frustração nos jogos do Rio. Diante das suíças Nadine Zumkehr e Joana Heidrich pelas quartas de final, elas tiveram de salvar três match points no segundo set, levaram a decisão ao tie-break, saíram atrás, mas buscaram a virada e a vaga com 21/23, 27/25 e 15/13. Caramba, que nervosismo!

Com disputas emocionantes, Olimpíada TESTA OS NERVOS dos brasileiros

Basquete masculino
Se tem um time que surgiu para testar nossos nervos, este é o de basquete. O que foram os jogos diante de Espanha e Argentina? Contra os espanhóis, buscamos o triunfo com tapinha de Marquinhos nos segundos finais.

Com disputas emocionantes, Olimpíada TESTA OS NERVOS dos brasileiros

Já contra os hermanos, desperdiçamos as chances no tempo normal, ao ceder o 85 x 85 em cesta de três a 3 segundos do fim. Depois falhamos em bolas decisivas nas duas prorrogações. Caímos por 111 a 107.

Prata e bronze na ginástica
Não foi fácil a redenção de Diego Hypólito no solo. Após tombos de cara e de bumbum nos dois últimos Jogos, desta vez ele fez bela série e depois, ficou na torcida. Arthur Nory também brilhou, mas restavam três competidores. Os ginastas brasileiros tremiam, mordiam dedos e, a cada erro rival, a certeza de medalha aumentava. Sofremos junto com nossa dupla, mas no final festejamos duas medalhas.

Com disputas emocionantes, Olimpíada TESTA OS NERVOS dos brasileiros

Empate sofrido
O time de handebol masculino mostrou que é cascudo diante do atrevido Egito. Passou o tempo todo atrás do marcador, mas buscou a importante igualdade nos segundos finais.

Com disputas emocionantes, Olimpíada TESTA OS NERVOS dos brasileiros

Felipe Kitadai
Brasileiro perdia sua luta de estreia diante de Walide Khyar, da França, quando virou com um golpe a cinco segundos do fim.

Com disputas emocionantes, Olimpíada TESTA OS NERVOS dos brasileiros

Rafaela Silva
A brasileira que foi desclassificada em Londres 2012, ganhou a medalha de ouro em luta tensa diante da mongol Sumiya Dorjsuren.

Com disputas emocionantes, Olimpíada TESTA OS NERVOS dos brasileiros

Último tiro
Felipe Wu buscou uma bela virada no final da pistola de ar de 10 metros e já se preparava para festejar o ouro quando, no último e perfeito tiro, Xuan Vinh Hoang, do Vietnã, mudou a cor da medalha do brasileiro. Deu prata, tudo bem. 

Com disputas emocionantes, Olimpíada TESTA OS NERVOS dos brasileiros

#rio2016 #tenso #marta

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
Chuchu.Beleza
Equipe Storia Brasil