Esportices
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Esportices
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Esportices
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Luxemburgo, um campeão em decadência: cai na China e soma cinco anos sem títulos

Chuchu Beleza
há um ano207 visualizações

Não faz muito tempo, os clubes brasileiros quase saíam no tapa para contratar o técnico Vanderlei Luxemburgo. Quem não queria ter em seu comando um treinador dono de cinco títulos brasileiros (único a conseguir o feito) e com passagem pela seleção brasileira? O 'pofexô' não é mais o mesmo, foi demitido da segunda divisão da China e desde 2011 não ganha um título importante.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Luxemburgo, um campeão em decadência: cai na China e soma cinco anos sem títulos

Aos 64 anos, Luxa anda em baixa, não consegue mais concluir um trabalho e precisa de reciclagem. Ou muda seus conceitos ou cairá no esquecimento.

Sua última decepção foi no Tianjin Quanjian, da China, para onde foi em agosto. O treinador chegou ao clube com a missão de recolocá-lo na elite do País e cheio de dinheiro para contratações. Levou os brasileiros Luis Fabiano, Jadson e Geuvânio e ainda montou uma comissão técnica com 12 compatriotas. Mas os resultados...

Com decepções em cima de decepções, Luxemburgo foi caindo em descrédito no Tianjin. Primeiro viu sua comissão ser reduzida à metade. Depois começou a ser boicotado pelo tradutor, que já não cumpria todas as suas ordens. A derrota da última rodada, de virada, por 2 a 1, foi o último capítulo de mais um trabalho encerrado pela metade. Com sete jogos sem vencer, oitava colocação e dez pontos distantes da zona de acesso, Luxemburgo dá adeus aos chineses como frustração.

Foi a segunda experiência frustrante do técnico fora do País. Em 2005 decepcionou ao dirigir os galácticos do Real Madrid. Ele não conseguiu levar Ronaldo, Zidane, Figo, Beckham e Raúl à conquista de taças e, a pedido da torcida, foi dispensado por Florentino Perez após 340 dias no clube merengue.

Luxemburgo, um campeão em decadência: cai na China e soma cinco anos sem títulos

Veja os últimos cinco trabalhos malsucedidos de Luxemburgo.

1 - Cruzeiro

Vitorioso no clube na primeira passagem, voltou em 2015 sob enorme expectativa. Caiu em menos de três meses após 10 derrotas em 19 partidas.

Luxemburgo, um campeão em decadência: cai na China e soma cinco anos sem títulos

2 - Flamengo

Antes de assumir o Cruzeiro no ano passado, Luxemburgo estava no Flamengo, onde depois de livrar o time da 'confusão' (rebaixamento em 2014) tinha um 'projeto' para 2015. Duas derrotas e um empate no início do Brasileirão foram suficientes para derrubá-lo após 10 meses sem títulos.

Luxemburgo, um campeão em decadência: cai na China e soma cinco anos sem títulos

3 - Fluminense

Foram apenas sete vitórias em 26 partidas na direção do Fluminense (!!!). Com o Tricolor com a corda no pescoço no Brasileirão de 2013, e Luxemburgo falando em rebaixamento, a direção optou pela dispensa do comandante após o nono jogo seguido sem triunfo.

Luxemburgo, um campeão em decadência: cai na China e soma cinco anos sem títulos

4 - Grêmio

Eliminações em série custaram o emprego de Luxemburgo no clube gaúcho em junho de 2013. Ele não conseguiu chegar à decisão estadual por duas vezes, caiu na Copa do Brasil, na Libertadores e na Sul-Americana, acabando assim com a imagem desgastada entre os dirigentes. Foram 14 meses no Grêmio.

Luxemburgo, um campeão em decadência: cai na China e soma cinco anos sem títulos

5 - Flamengo

Local do seu último título, o Carioca de 2011, ele foi dispensado por Patricia Amorim por ganhar apenas uma taça em 485 dias de Rubro-Negro e após entrar em rota de colisão com o astro Ronaldinho Gaúcho.

Luxemburgo, um campeão em decadência: cai na China e soma cinco anos sem títulos

#futebol #luxemburgo #queda

Brasileirão com Corinthians líder no cartão vermelho tem rodada de belos gols

Chuchu Beleza
há um ano3 visualizações

Os narradores foram à loucura neste fim de semana com a sexta rodada do Brasileirão. Dos 22 gols anotados em nove jogos, muitos foram pinturas, daqueles que não cansamos de ver. Apenas Chapecoense e Fluminense ficaram no 0 a 0, em jogo de superação do árbitro Ricardo Marques Ribeiro, que apitou mesmo sabendo da morte da mãe, Maria Aparecida.

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Brasileirão com Corinthians líder no cartão vermelho tem rodada de belos gols

O que falar de um gol de peito após chapéu no goleiro? Só podemos bater palmas. Está obra prima veio na vitória do Santos sobre o Botafogo, por 3 a 0.

Vitor Bueno foi o responsável pela pintura, na reedição da final de 1995, no Pacaembu. O Santos brilhou e jogou o rival para a lanterna.

O Botafogo, recém-promovido à elite, agoniza. Já o Atlético-PR respira aliviado, fora da zona de rebaixamento graças ao chutaço de Deivid de fora da área. Uma pintura que fez o time subir na tabela.

Com bomba de primeira de Luan, aos 49 minutos do segundo tempo, o Grêmio bateu a Ponte Preta, por 1 a 0, e igualou o Corinthians em quase todos os critérios de desempate.

Ambos somam 13 pontos, quatro vitórias, 10 gols pró, 4 contra e saldo seis. Como definir o líder então? Nos cartões, e nesse quesito os paulistas levam a melhor. Não tem nenhum expulso, enquanto o gaúcho Lincoln levou vermelho ontem ao dar cotovelada em João Vitor.

Sim, um cartão vermelho dá a liderança ao Corinthians. O Inter fica em terceiro por ter um gol a menos de saldo. O Colorado caiu em Salvador com gol por cobertura de Marinho.

No jogo mais legal da rodada, repleto de gols e com resultado improvável até o fim, vieram duas pinturas. O Sport buscou o 4 a 4 com o Atlético-MG graças ao belo gol de Rithely e à cobrança de falta de Diego Souza como se fosse com a mão. Toque sútil lindo. Junior Urso abriu o placar em bela tabela com Robinho.

Por fim, uma pintura que não valeu muito. Alan Patrick queria se vingar do Palmeiras, de quem foi mandado embora, mas seu belo gol não foi suficiente para evitar a derrota por 2 a 1.

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
Chuchu.Beleza
Equipe Storia Brasil