TV

Stranger Things estaria falando do vírus da Aids? Veja essa e outras teorias

Daniel Akstein
Author
Daniel Akstein

A não ser que você tenha passado os últimos dias em Marte, com certeza já ouviu falar de Stranger Things, a nova queridinha das séries, fenômeno de público e produção própria da Netflix.

E, se você já ouviu, leu ou assistiu a algum episódio, já sabe bem que ela é uma explosão de nostalgia da década de 1980 e que conta a história de um menino que some misteriosamente, com seus amigos se aventurando em sua busca (e sua mãe ficando 'louca', e com o policial da cidade descobrindo a verdade, e com uma empresa que faz experimentos em crianças, e tal e tal e tal...). Mais infos da série aqui:

Mas, atenção para SPOILERS daqui em diante, o que significa essa série? Como todo seriado bom que se preze, e que deixa um suspense no ar, teorias pipocam na internet.

Para começar, li que Stranger Things poderia ser uma obra de arte do algoritmo da Netflix. Com base de dados dos seus assinantes, ela viu tudo o que seu público mais tem assistido no canal. E juntou todas essas referências para criar uma série que cairia exatamente no gosto das pessoas. E todas as citações aos anos 80 (Goonies, ET, Spielbierg, músicas e tal e tal e tal) não são por acaso. Loucura pensar nisso, não? Achei demais.

Mas a maior loucura que li, e que até faz um sentido, veio de um post do amigo Felipe Lavignatti no Facebook. Uma teoria, nada mais que isso, de que o monstro do filme não passa do vírus da AIDS. Segue seu relato:

"Stranger Things não é só uma homenagem à cultura pop dos anos 80, é também uma alegoria da AIDS naquela década. Toda a história se passa em 1983, ano em que o vírus do HIV foi isolado. Em tom moralista, os personagens que não estão associados a relações heterossexuais estáveis são as principais vítimas. Primeiro o menino que é chamado de gay pelos colegas. Depois a garota que reprime uma relação heterossexual da amiga. Amiga essa que quase vira mais uma vítima justamente em um momento em que ela ensaia uma troca de parceiro. O que atrai o monstro é justamente o sangue, meio de transmissão do vírus HIV. Monstro esse que surge em laboratório, assim como afirmam algumas teorias sobre a origem do vírus. E, para completar, temos um "inimigo sem rosto", um dos apelidos da AIDS até hoje."

Stranger Things estaria falando do vírus da Aids? Veja essa e outras teorias

Will, o menino levado logo no primeiro episódio, só é encontrado no 'mundo invertido' no episódio final e levado para o hospital. E diz aos amigos: 'a coisa me pegou'. Será que foi a Aids que o pegou? Ele está debilitado, fraco, pálido... E tudo pode fazer sentido se pensarmos como a homossexualidade também está infiltrada na série.

E aí entra uma outra teoria: não seria a homofobia o 'monstro' de Stranger Things? Veja só: o menino levado é chamado de gay pelos colegas (e até o pai questiona sua heterossexualidade). A personagem Onze é confundida com um menino por sua aparência quase careca. Barb, melhor amiga de Nancy, tenta atrapalhar um relacionamento da colega, e também é atacada pelo monstro. Coincidências?

Para acabar, a outra teoria que comentam é que o 'Demogorgon' (o monstro) não passaria de um câncer que atingiu Will. Vale lembrar que o policial Jim Hopper perdeu seu filho justamente para o câncer e agora faz de tudo para encontrar Will. E há o simbolismo das plantas que começam a invadir o laboratório, tal qual um tumor se alastrando pelo corpo.

E a Onze? Em qualquer das teorias, ela seria uma espécie de teste, o que os laboratórios estão fazendo para achar a cura (seja da Aids ou do câncer). Um experimento.

São loucuras todas essas indagações, comparações ou hipóteses? Pode até ser. Mas tudo isso só mostra como a série é boa e como ela conseguiu atrair tanta gente em pouco tempo. Agora quero saber: depois de terminar de assistir a série, você consegue compartilhar uma dessas teorias ou teria alguma outra ideia maluca?

#StrangerThings #seriado #netflix #TV #teorias