Esporte é foda
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Esporte é foda
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Esporte é foda
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Que tristeza! As baixas mais sentidas no Rio 2016 (até agora)

DeTudoUmPouco
há um ano30 visualizações
Que tristeza! As baixas mais sentidas no Rio 2016 (até agora)
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

A gente não aguenta mais! Todo dia alguém que traria centenas de torcedores para a Olimpíada do Rio de Janeiro desiste da competição. Por inúmeros motivos (estou me recusando a colocar aqui os manés que usaram zika como desculpa), estrelas de diversos esportes deixaram os torcedores com gostinho de quero mais. E as bilheterias com mais ingressos disponíveis. Estas são as baixas mais sentidas do Rio 2016 até a tarde de 27 de julho (quarta):

Roger Federer

A temporada do suíço já não era muito promissora, por conta de lesões no joelho e nas costas, mas Federer surpreendeu a todos ao abrir mão de TODO O SEGUNDO SEMESTRE. Não foi só a Olimpíada, mas também o US Open e o ATP Finals (para o qual ele teria que suar muito para se classificar, na verdade). O joelho operado voltou a incomodar e ele optou por uma recuperação longa. Compreensível, com certeza. Mas a gente lamenta que as exibições em São Paulo em 2012 tenham sido a única chance dos fãs brasileiros de Federer verem o ex-número jogando no país.

Elena Isinbaeva

Maior controvérsia da Olimpíada até o momento, o banimento parcial da Rússia tirou a recordista mundial do salto com vara do Rio. Isinbaeva não era grande favorita para a prova, que atualmente está bem equilibrada, mas não podemos negar que ela é um ícone do esporte mundial. Ela chorou, disse que todo este problema foi uma invenção de países concorrentes da Rússia e meio que "amaldiçoou" os futuros vencedores.

Que tristeza! As baixas mais sentidas no Rio 2016 (até agora)

LeBron James

O atual campeão da NBA, pelo Cleveland Cavaliers, James declarou que prefere descansar e treinar adequadamente para a próxima temporada da NBA a tentar mais uma medalha de ouro. Quanta gente comprou ingressos do basquete achando que veria a lenda em quadra? Não vai rolar.

Stephen Curry

Maior revelação dos últimos anos do basquete, Curry e suas inacreditáveis bolas de três passarão longe das arenas cariocas. Ele enfrentou uma lesão no joelho na reta final da temporada da NBA e achou melhor aproveitar totalmente as férias e a pré-temporada para não ter problemas no futuro. Ok, fica para a próxima. :(

Tiago Splitter

Faz tempo que a gente sabe, mas continua sendo triste. Splitter passou por uma cirurgia no quadril direito em fevereiro e só deve voltar a jogar no fim do ano. Para continuar trabalhando neste intervalo, o jogador do Atlanta Hawks vai comentar basquete na Globo durante os Jogos.

Que tristeza! As baixas mais sentidas no Rio 2016 (até agora)

Anderson Varejão 

Esta foi recente (há horas) e não há como se conformar. Com uma hérnia de disco na lombar, o jogador do Golden State Warriors também não poderá representar o Brasil em casa. O time nacional continua forte, mas foi severamente enfraquecido.

César Cielo Filho

O esporte brasileiro ainda não se recuperou do tiro na cara. O nosso maior nadador de todos os tempos não se classificou na seletiva do Maria Lenk. A equipe brasileira segue com chance de medalha, inclusive no 4x100 livre, mas os torcedores brasileiros queriam ver Cielo lutando por mais um ouro.

Que tristeza! As baixas mais sentidas no Rio 2016 (até agora)

É triste, mas não vamos ficar de cabeça baixa. Ainda há muita gente sensacional confirmada nas Olimpíadas (Bolt! Phelps! Serena! Djokovic! Neymar! A seleção feminina de vôlei!) e eles serão capazes de realizar uma Olimpíada inesquecível.

#rio2016 #olympics #olimpiadas

Dez dicas essenciais para quem vai assistir às Olimpíadas in loco

DeTudoUmPouco
há um ano14 visualizações

por Sheila Vieira

Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸
Dez dicas essenciais para quem vai assistir às Olimpíadas in loco

Nunca foi a um evento esportivo grande na sua vida? A primeira vez será justamente durante os Jogos Olimpícos, também conhecido como o maior deles? Não pense que você pode simplesmente acordar, colocar qualquer roupa e sair de casa como se estivesse indo ao cinema. É uma situação completamente diferente, que exige pensar em muita coisa com antecedência. Por isso, a pessoa que tirou a foto acima no US Open está aqui para te dar algumas dicas essenciais:

1. Esteja sempre preparado para proteger o seu corpo do clima em eventos sem cobertura.

Ir a uma sessão em lugar aberto sem boné ou chapéu é suicídio se não houver nuvens no céu. Você simplesmente não aguenta ficar parado com aquele sol na sua cabeça por muito tempo, nem tomando água (se for tênis, bota seis horas nisso). Mesmo se o dia amanhecer nublado, a situação pode mudar à tarde. Mesma coisa com chuva: uma capa é sempre bem-vinda. Uma solução mais humilde que serve para os dois casos: toalha. 

2. Leve algo para armazenar água.

Uma das boas notícias do Rio 2016 é que haverá bebedouros nas arenas. Leve uma garrafinha vazia para não precisar fazer muitas viagens ao óasis. Você também pode levar alimento industrializado fechado.

3. Pelo amor de Deus, use roupas confortáveis.

Evento esportivo não é casamento e a chance de você aparecer na TV é quase nula. Aquela sapatilha pode ser linda, mas você sofrerá muito quando precisar andar quilômetros com ela (é impossível não andar muito em arenas esportivas). Homens também precisam tentar desapegar da calça jeans.

4. Tente não chegar em cima do horário da sessão.

Funciona com cinema, mas não no esporte. Geralmente há uma aglomeração perto das arenas e você precisa andar devagar até elas. Depois tem a fila para passar pela catraca. E a caminhada até o seu setor e assento. Não haverá trailer enrolando até você chegar.

5. Não leve o ingresso no bolso de trás.

Parece idiota falar isso, mas muita gente teve ingresso furtado na Copa do Mundo por colocá-lo no bolsinho de trás da calça ou da bermuda. É chato carregar bolsa, sacola ou mochilinha? Com certeza. Mas antes isso do que aquela surpresa desagradável na hora de passar na catraca. Testemunhei isso algumas vezes em 2014. Uma solução mais ninja para uma sessão muito concorrida (como a abertura, por exemplo) é usar uma doleira (tipo uma pochete fininha sem volume) por baixo da roupa com o ingresso dentro.

Dez dicas essenciais para quem vai assistir às Olimpíadas in loco

6. Respeite os esportes que exigem silêncio.

Não seja o idiota que vai gritar "Vai Corinthians" (e eu sou corintiana, tá?) ou "Fora, Dilma" quando uma ginasta estiver dando um mortal na trave ou no momento em que o Djokovic lançar a bola para sacar. Essas pessoas treinam todos os dias da vida e merecem o mínimo de respeito. Se você quer poder gritar e xingar a qualquer momento, compre ingressos de modalidades que permitem isso.

7. Não seja o mané que fica tentando sentar nos melhores lugares.

Isso me irritou profundamente no US Open, porque é muito comum. A pessoa se senta na primeira fileira, é expulsa quando os donos dos lugares chegam e vai para a de trás. Depois são expulsas novamente. E este ciclo de falta de vergonha na cara prossegue ad infinitum, até o momento em que você nem consegue mais prestar atenção na competição. Vá para o seu assento de uma vez e não encha o saco.

8. Não fique vaiando o hino alheio.

Em outras palavras, não faça a torcida do Mineirão no Brasil x Chile. Este é o maior momento da vida de um atleta, no qual ele está pensando em todos os milhares de sacrifícios que fez para chegar ali. É o momento DELE, não o seu, querido espectador se achando o protagonista da situação.

9. Na hora de sair, cuidado com aglomerações.

Assim como na chegada, é uma situação meio entrada de estação de metrô no horário de pico: você anda a 1 km/h. Se estiver com muita pressa (metrô perto de fechar), talvez seja o caso de sair um pouco antes do término da sessão. Caso contrário, aproveite um pouquinho mais o tempo na arena para tirar fotos e saia quando a muvuca estiver longe.

10. As redes sociais podem te ajudar muito.

Não só para se exibir, mas para ter todas as informações necessárias. Em um esporte com partidas simultâneas, como o tênis, você precisa saber o que está acontecendo nas outras quadras para decidir ao que quer assistir. Se houver algum problema na cidade, como fechamento de via ou estação, não pode ser uma surpresa. E aquele seu amigo que mora em outro canto da cidade também pode avisar que a chuva está chegando.

Combinado? Agora você sabe o que fazer para evitar os perrengues. Até os Jogos!

#rio2016 #olympics #olimpiadas 

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
DeTudoUmPouco
Equipe Storia Brasil