Isso é muito Black Mirror
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Isso é muito Black Mirror
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Isso é muito Black Mirror
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

8 coisas que você deveria deletar do seu Facebook

DeTudoUmPouco
há 5 meses2.5k visualizações
8 coisas que você deveria deletar do seu Facebook
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Tem muita gente louca por aí. Sim, você sabe disso. Então por que continua oferecendo gratuitamente, por livre e espontânea vontade, todas as informações relevantes sobre a sua vida para qualquer um que queira te prejudicar? Estas são as oito coisas que você precisa deletar da sua página no Facebook:

1. Número de telefone

Sim, o Facebook tenta vencer pelo cansaço e te convencer de todas as formas possíveis e imaginárias que adicionar seu telefone ao seu perfil é super legal. Até você começar a receber ligações de estranhos ou ter seu smartphone hackeado.

2. Onde você trabalha

É legal você ter orgulho de onde trabalha. Mas não precisa marcar a página, que tem o endereço. Caso alguém esteja de olho nos seus bens materiais ou estilo de vida através das suas fotos e queira te roubar, é só te esperar do lado de fora do prédio. Sem falar no caso das mulheres, em que assalto é a menor das preocupações.

3. Fotos de parentes crianças

Essa é difícil, eu sei, sou uma tia muito orgulhosa. Mas pedofilia existe, existe pra caramba, e eles usam muito as redes sociais para obter material e adulterá-lo. A blogueira Thais Ventura, por exemplo, tomou um susto ao perceber que fotos que ela havia publicado de seus filhos e dela mesma amamentando haviam parado em sites de pedofilia em Israel.

4. Onde seus filhos estudam

Se já é perigoso algum crimonoso em Israel ter acesso às suas fotos, imagine saber a localização dos seus filhos? Não corra esse risco.

5. Serviços de localização

Não se engane, o Google e o Facebook sabem exatamente onde você está o tempo todo. Mas é bom dificultar que a informação chegue a estranhos. Deixe para publicar fotos de um local bacana quando você já tiver saído de lá e chegado em casa. Nem toda imagem precisa ser acompanhada de um tag que contém o endereço do lugar. Sem falar quando você publica que está viajando para uma cidade e sempre aparece um mala que mora lá fica te enchendo o saco dizendo "mas nem me avisoooou, vamos nos encontraaaaaar".

6. Seus planos de viagem

Vai viajar? Não precisa fazer um post anterior explicando que dia você vai, quanto tempo vai ficar e quando volta. Neste caso, não é só para evitar stalkers: as empresas de seguro podem usar estes posts contra você em caso de roubo ou outro tipo de crime durante a viagem. Tipo a Kim Kardashian publicando fotos das suas joias antes de sofrer o roubo das mesmas.

7. Detalhes do cartão de crédito

Quem administra páginas e patrocina posts precisa cadastrar um cartão de crédito no Gerenciador de Negócios do Facebook. Se possível, não use o seu cartão pessoal. Se for necessário, pegue aquele com limite pequeno e fácil de cancelar.

8. Fotos de cartões de embarque e de ingressos de shows

Acredite ou não, mas o código de barras do seu cartão de embarque contém dados pessoais seus, que você compartilhou com a companhia aérea. Alguém que manja dos #paranauês pode rastreá-los a partir desta foto. No caso dos shows, alguém pode replicar aquele código e entrar no espetáculo no seu lugar.

Pode dizer que é paranoia. Mas é tecnologia.

10 habilidades que a gente tinha que a tecnologia arruinou

DeTudoUmPouco
há 6 meses125.4k visualizações
10 habilidades que a gente tinha que a tecnologia arruinou
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Não, eu não vou ser aquela pessoa que diz que a tecnologia é uma coisa horrível. Ela nos deu mais informações, plataformas, recursos, proximidade das pessoas e tudo mais. YAY Vale do Silício. Só é meio frustrante quando você precisa fazer algo que era totalmente comum antes do advento dos smartphones e da internet e simplesmente NÃO CONSEGUE MAIS. Exemplos:

1. Escrever um texto ou carta com as mãos

Chega um momento em que você realmente se pergunta como foi possível um dia aprender a escrever, PORQUE AGORA ISSO PARECE TÃO DIFÍCIL. Sua letra está infinitamente pior do que quando você tinha um caderno do Mickey, você nem encontra direito a posição certa da mão e as linhas saem mais tortas do que o caminhar de um bêbado. Socorro.

2. Decorar números de telefone

Nem o telefone fixo da sua casa! Nem o da sua mãe! Nem o de quem mora com você! Nem qualquer um que você possa ligar se alguém te assaltar e levar seus pertences! Às vezes, nem o seu próprio número!

3. Disputar jogos de tabuleiro quando chove na viagem

Saudades de quando você conseguia manter a união do grupo mesmo quando chovia, graças ao abençoado que levava um WAR, Banco Imobiliário ou Imagem e Ação para o rolê. Se alguém resolver desenterrar um desses jogos, ninguém mais lembra as regras e todo mundo decide ficar fuçando no Instagram mesmo.

4. Jogar baralho sem compromisso depois do almoço

Era de lei passar a tarde de domingo jogando baralho, fazendo altas estratégias e se achando o campeão da mundo quando vencia uma partida. Atualmente, você só sabe jogar pôquer, e valendo grana. Ou seja, sempre rola aquela torta de climão quando acaba.

5. Ler livros

"Mas eu super ainda leio livros, okaaaaaaaaaaaaaaay?"

Ok. Mas confesse: está cada vez mais difícil. Você está lá tentando se engajar nas páginas daquele romance que ainda não engatou, quando ouve barulho de notificação do celular. Você vai olhar. 

E olhar outra coisa. 

E vai aproveitar para ver as stories. 

E acaba desistindo e ligando a Netflix.

6. Esperar para ver um novo episódio de uma série

Hoje em dia, esperar alguns dias para ver um episódio novo é certeza de que você vai tomar spoilers, a não ser que você seja uma pessoa totalmente ausente de redes sociais e que não leia notícias em portais da internet. Paciência é algo que simplesmente não pertence mais à raça humana.

7. Pensar antes de tirar fotos

Antigamente, tirar uma foto era um longo processo, que merecia uma análise de pelo menos uns 10 minutos e muita preparação para não perder um precioso clique. Agora, você só sabe pressionar o polegar na bolinha aleatoriamente, olhar os 100 registros depois e descobrir que nenhum deles realmente vale um post. 

8. Conhecer novas músicas por acaso na rádio

Nosso mundo musical agora é regido por playlists e acabamos ficando presos nas mesmas bandas e gêneros de sempre. Não há mais aquela sensação estranha de ouvir uma música que você não conhecia na rádio e descobrir um artista bacana por acaso. Nós temos o poder de escolher agora, mas ele só nos acomoda.

9. Aprender a chegar nos lugares

Se o seu pacote de 4G acabar, não sabemos nem encontrar o hospital mais próximo. O senso geográfico é infinitamente menor desde que o atlas virou um aplicativo no nosso celular. 

10. Saber diferenciar coisas urgentes das não-urgentes

Nem toda resposta de mensagem precisa ser lida agora, daqui a 10 minutos ou em uma hora. Na verdade, 99% delas não têm urgência alguma. Mas os apps de mensagem instantânea modificaram o nosso cérebro para acreditar que, sim, você precisa saber já a opinião do seu amigo sobre a season finale de "Westworld".

As pessoas mudam, o mundo não é mais o mesmo. Exceto quando você tem que escrever uma procuração ou uma carta para o plano de saúde usando papel e caneta.

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
DeTudoUmPouco
Equipe Storia Brasil