Tênis é para loucos
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Tênis é para loucos
1BB34097-F786-44E7-9A1A-E8A05C0914DB
Burger
Tênis é para loucos
ic-spinner
Todo mundo tem uma história para contar
Encontre as melhores histórias para ler e autores para seguir. Inspire-se e comece a escrever grandes histórias sozinho(a) ou com seus amigos. Compartilhe e deixe o mundo conhecê-las.

Ícone do tênis faz piada racista, assedia técnica, xinga jogadora e é expulso

DeTudoUmPouco
há 6 meses83.3k visualizações
Ícone do tênis faz piada racista, assedia técnica, xinga jogadora e é expulso
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Esta mulher chorando na imagem acima é a número 7 do ranking mundial de tênis, a britânica Johanna Konta. O registro simboliza o tamanho da lambança que o ícone do tênis Ilie Nastase fez durante o torneio Fed Cup (uma disputa entre nações do tênis feminino), no confronto entre Romênia e Grã-Bretanha, entre os dias 21 e 23 de abril, realizado na cidade de Constanta.

Em apenas três dias, Nastase fez uma piada racista envolvendo o bebê que Serena Williams está esperando, assediou a treinadora britânica, xingou a tenista Konta e foi expulso e suspenso pela Federação Internacional de Tênis. E ele não é só mais um cara de 70 anos: foi campeão de Roland Garros e do US Open e duas vezes vice-campeão de Wimbledon. Nastase está para a Romênia como Guga Kuerten está para o Brasil. Ele é um ídolo nacional e por isso é o capitão (treinador) da equipe romena na Fed Cup.

Tudo começou no sorteio dos jogos do confronto, na sexta-feira. Durante entrevista coletiva, Nastase comentou sobre a gravidez de Serena Williams: "Será que o filho dela vai ter qual cor? Chocolate com leite?"

PORQUE ELA É NEGRA E O PAI DO BEBÊ É BRANCO. PORQUE PESSOAS DE RAÇAS DIFERENTES TENDO FILHOS É ALGO TÃO BIZARRO, QUE MERECE PIADAS. NÃO? NÃO MESMO?

Não satisfeito com a piada de tiozão racista, no final do sorteio, ele se posicionou para tirar uma foto protocolar ao lado da capitã britânica, Anne Keovathong, e aproveitou que estava na frente de toda a imprensa para constrangê-la e perguntou o número do quarto em que ela estava hospedada.

Quando a imprensa britânica não deixou barato e publicou matérias sobre o comportamento inadequado de Nastase, ele xingou a jornalista Eleanor Crooks:

"Parece que o emprego de Nastase está na berlinda. Ele chegou na sala de imprensa e me chamou de estúpida várias vezes."

Os jogos começaram e a situação só piorou. Konta reclamou que a torcida estava sendo ofensiva e Nastase entrou na onda, xingando o árbitro, a capitã britânica e a jogadora. Ele chamou as mulheres de "fucking bitches". Isso mesmo, de vadias.

O árbitro decidiu expulsar Nastase da quadra e do complexo e o jogo foi suspenso, enquanto Konta chorava e tentava se recompor. Principal tenista romena, Simona Halep pediu no microfone que o público respeitasse as adversárias. A partida recomeçou e Konta acabou vencendo.

A Federação Internacional de Tênis confirmou que Nastase estava expulso de todo o confronto (incluindo dos jogos de domingo), mas o romeno teve sua entrada permitida pelos organizadores locais e ficou nos camarotes, até ser novamente expulso pelo órgão internacional.

A tenista romena Sorana Cirstea disse não ter visto nada de mais nos insultos, falando que era chamada de "cigana" em todo o mundo e nunca chorou ou parou um jogo por causa disso. Ela também deu a entender que houve um componente de racismo nas críticas dos britânicos contra os romenos.

É compreensível que Cirstea tenha receio de falar que as atitudes de Nastase não representam a Romênia, já que, como eu disse, o cara está para o país como Guga está para o Brasil, mas o fato é que ela colocou o patriotismo acima da sororidade.

Nastase continua suspenso de qualquer evento organizado pela Federação Internacional (incluindo Grand Slams), mas a ATP e a WTA, entidades que regem a maioria dos torneios do circuito, ainda não tomaram qualquer atitude contra o ídolo romeno.

PS: a Romênia acabou ganhando o confronto.

Maria Sharapova completa 30 anos: relembre as polêmicas envolvendo a russa

DeTudoUmPouco
há 6 meses101.1k visualizações
Maria Sharapova completa 30 anos: relembre as polêmicas envolvendo a russa
Colaborar com amigos em assuntos que você ama
Pedir coautoria ▸

Provavelmente a atleta mulher mais conhecida do planeta, Maria Sharapova faz parte da esfera pública há tanto tempo, que parece estranho que ela esteja completando 30 anos só agora. Desde que venceu o torneio de Wimbledon em 2004, com apenas 17 anos, a russa quebrou os estereótipos relacionados às "musas", através de uma personalidade forte e um jeito duro de lidar com a imprensa e com suas colegas, e viu sua carreira virar de cabeça para baixo por uma suspensão por doping, que pegou o mundo de surpresa. Vamos relembrar as principais controvérsias que marcaram a vida de Sharapova até agora:

Uma russa que mais parece americana

Apesar de ter feições bem típicas da Rússia, Sharapova fala inglês com um sotaque 100% americano e sempre mostrou ter uma mentalidade mais ocidental, não muito apegada a tradições do Leste Europeu. Nas raras vezes em que defendeu o país na Federation Cup em Moscou, ela geralmente voltava gripada, por não estar acostumada com a temperatura. O motivo para tudo isso é óbvio: Sharapova se mudou para os EUA com sete anos de idade.

Ela defendeu a igualdade de salários entre homens e mulheres no tênis quando suas compatriotas ainda mostravam receio de fazer o mesmo e sempre deixou claro que sua carreira era prioridade em relação à vida pessoal. Suas contemporâneas Maria Kirilenko e Elena Dementieva, por exemplo, deixaram cedo o esporte para serem esposas e mães (direito delas, claro, mas exemplos de uma visão de mundo mais tradicional).

Sempre deixou claro que não queria ter amigas no circuito

Sororidade no trabalho não é muito a praia de Sharapova. Ela nunca escondeu que não faz questão de conversar com suas colegas, jamais quis ser amiga de nenhuma delas e mal cumprimenta as adversárias no vestiário. Isso ficou bem claro quando ela foi pega pelo antidoping e quase ninguém veio defendê-la. Suas relações mais afetivas no circuito são com homens, como o ex-namorado Grigor Dimitrov, o alemão Tommy Haas e o sérvio Novak Djokovic.

Já brigou publicamente com Serena Williams por causa de homens

A relação conturbada entre Sharapova e Serena começou em 2004, quando a russa derrotou a norte-americana na final de Wimbledon com 17 anos, e depois voltou a derrotá-la no mesmo ano. Porém, desde então, Serena JAMAIS PERDEU OUTRO JOGO PARA SHARAPOVA. Já são 19 partidas e mais de 12 anos de invencibilidade da americana contra a russa.

O ápice da rivalidade, no entanto, foi em 2013, quando as duas trocaram farpas em Wimbledon. Um perfil de Serena na Rolling Stone tinha uma declaração em que a americana criticava uma colega, sem falar o nome dela, dizendo que ela se relacionava com um homem de coração negro. A associação com Sharapova foi rápida, já que a russa estava namorando Grigor Dimitrov, que chegou a sair com Serena anteriormente. #babado

Sharapova respondeu com um canhão: "Se ela quer falar de coisas pessoais, devia falar sobre o seu próprio relacionamento, com um cara que era casado, está se divorciando e tem filhos". Pior: o homem em questão era (e ainda é) o treinador de Serena, o francês Patrick Mouratoglou. Atualizando: Sharapova está solteira e Serena vai se casar com o empresário Alex Ohanian e anunciou HOJE que está grávida.

Nunca quis ser muito forte fisicamente

Serena Williams até hoje é alvo de muitas piadas maldosas (e machistas e racistas) a respeito de seu corpo forte. Certamente não ajuda o fato de que a maioria de suas rivais tem físicos que não são extremamente atléticos. Sharapova é parte deste grupo: "Quero ser mais magra e sem celulite. Acho que é o sonho de toda garota", ela disse ao NY Times em 2015. "Não consigo levantar mais que 3 quilos. É chato e dá muito trabalho. Acho que, para o meu esporte, não é muito necessário".

Foi uma das atletas russas pegas por uso de meldonium

Uma das poucas conexões que restaram de Sharapova com a Rússia foi justamente um médico que a receitava a substância, que entrou para a lista de proibição da WADA em janeiro de 2016. Sharapova usava o remédio praticamente desde que virou atleta de altíssimo nível. Ela alega que foi crucificada por ser famosa e se deu mal por ser honesta sobre o uso, ao contrário de outros atletas, que usaram a desculpa de terem ingerido a substância antes da proibição e ficaram com ela no organismo por meses. 

Pode ser verdade, mas não apaga o fato de que a justificativa inicial dela de um problema cardíaco não se sustentou diante da constatação de que o meldonium era claramente tomado pela maioria dos atletas russos para fins de performance. 

Muita gente não está feliz com os convites que ela tem recebido em seu retorno

Sharapova está suspensa até o dia 25 de abril, uma terça-feira da semana em que acontece o torneio de Stuttgart, patrocinado pela Porsche (que tem a russa como embaixadora). Foi feita uma gambiarra para que ela pudesse jogar a competição, adiando sua estreia para quarta-feira, seu primeiro dia após a suspensão. Ela não pode nem treinar no local antes disso.

Muitas atletas não gostaram desta manobra, assim como dos convites (uma maneira fácil de entrar em um torneio sem ter ranking) que ela recebeu para os torneios de Madri e Roma, principais preparatórios para Roland Garros. Pessoas como Andy Murray e Dominika Cibulkova declararam que convites são para atletas que perderam seus rankings por conta de lesões ou outros problemas pessoais, não quando foram pegos pelo antidoping. Já Venus Williams disse que ela cumpriu sua pena e tem o direito de recomeçar da melhor forma possível.

Gostando dela ou não, Sharapova sempre será assunto. E o mundo estará de olho em seu retorno na próxima semana.

Você leu a pasta de história
Story cover
escrita por
Writer avatar
DeTudoUmPouco
Equipe Storia Brasil