FUTEBOL

Dirigente culpa orçamento de "time pequeno" por má fase, desrespeita rival e cai

Autor

Dirigente de futebol parece apaixonado por uma polêmica. Vira e mexe um aparece falando uma "bobagem" e acaba desrespeitando jogadores, técnicos ou mesmo um rival, como fez Fernando Veiga, vice de futebol do Fluminense. Para justificar a má fase do clube, ele acabou envolvendo o Atlético-GO, que nada tem com isso e pagou com a demissão.

Dirigente culpa orçamento de "time pequeno" por má fase, desrespeita rival e cai

Foto: Nelson Perez/Fluminense

O dirigente esclarecia o motivo de a equipe estar em queda livre no Brasileirão - primeira fora da zona de rebaixamento - quando acabou reclamando do "orçamento de time pequeno, como do Atlético-GO". Falou e nem percebeu o desrespeito ao oponente.

E foi além com as críticas. Fernando Veiga ainda reclamou da alta pedida salarial de jogadores sondados pelo Fluminense. "Zagueiros e volantes medianos querem ganhar R$ 200 mil, R$ 250 mil para jogar no Fluminense", protestou, revelando que o clube passa por dificuldades financeiras e não consegue honrar com compromissos de R$ 20 mil. Veja a fala infeliz:


O Atlético-GO resolveu não entrar na polêmica, mas o presidente do clube carioca, Pedro Abad, não gostou nada da exposição desnecessária dos problemas do Tricolor e optou pelo desligamento do vice de futebol.