FUTEBOL

Ele não serviu para o Palmeiras, mas pode levar o Peru à Copa após 36 anos

Author

A torcida palmeirense tem pesadelos só de ouvir seu nome. Contratado para ser técnico sob enorme expectativa em 2014, ele acabou demitido com menos de 3 meses de casa após resultados catastróficos e aproveitamento de só 33%. Ficou seis meses parado até receber convite da seleção peruana e agora Ricardo Gareca está sonhando em levar o país novamente a um Mundial, depois de 36 anos de espera.

Ele não serviu para o Palmeiras, mas pode levar o Peru à Copa após 36 anos

Gareca lamentou a falta de tempo para se adaptar ao Palmeiras. Vitorioso com o Vélez Sarsfield, no qual trabalhou por cinco anos seguidos, pagou pela política de resultados imediatos no Brasil. Ganhou só quatro de 13 jogos, com oito derrotas, e foi 'chutado' do Verdão.

Resolveu aceitar o desafio de assumir pela primeira vez na carreira uma seleção. Na apresentação no Peru, em março de 2015, um discurso confiante: "Ir na Copa não é impossível." Como não, dirigindo seleção que vivia entre os piores da América?

Ele vem provando com bom desempenho nos jogos e árduo trabalho com nomes não tão conhecidos no cenário mundial, mas bastante envolvidos em seu projeto. Gareca acertou a seleção peruana de Guerrero, Cueva e Trauco e vai cumprindo sua missão.

Restam duas rodadas para o término das eliminatórias e o sonho de disputar novamente um Mundial - o último do Peru foi em 1982 - está bem vivo. Com 24 pontos, a seleção está na quarta posição, superando nos critérios de desempate a Argentina, próxima rival.

'Atrapalhar' seu país de nascimento e depois fazer a lição de casa diante da Colômbia significaria o fim do sofrimento peruano. A missão de Gareca ainda é complicada, mas agora bem possível. Sobretudo para quem já ganhou de Paraguai (4 a 1) e Equador (2 a 1) fora de casa, bateu no Uruguai (2 a 1) e vem de três vitórias seguidas.

Ele não serviu para o Palmeiras, mas pode levar o Peru à Copa após 36 anos
Ele não serviu para o Palmeiras, mas pode levar o Peru à Copa após 36 anos
Ele não serviu para o Palmeiras, mas pode levar o Peru à Copa após 36 anos
Ele não serviu para o Palmeiras, mas pode levar o Peru à Copa após 36 anos

Fotos: Twitter/Conmebol