FUTEBOL

Ele sonhou com a Copa, fez um 2016 muito bom e agora se contentaria em "jogar"

Autor

Depois de atuar por 53 partidas e anotar 19 gols, além de dar diversas assistências na temporada de 2016, esse brasileiro previa um 2017 ainda melhor para chamar a atenção de Tite, voltar à seleção brasileira e concretizar o sonho de disputar a Copa do Mundo. Os planos deram errado e hoje ele se contentaria apenas em "jogar".

Não é fácil para um jogador ficar encostado num clube. Ainda mais sabendo que tem qualidade. Mas a concorrência anda enorme no PSG e o meia brasileiro Lucas Moura virou uma "peça fora do tabuleiro".

Habilidoso e com futuro promissor, o meia de 25 anos, revelado pelo São Paulo, perdeu enorme espaço com a chegada de Mbappé e do compatriota Neymar. Está atrás, ainda, dos agora reservas Pastore e Dí Maria.

A situação de Lucas é tão dura no clube que ele por vezes não é relacionado nem para o banco de reservas, sobretudo nos jogos da Champions League.

O técnico Unai Emery garante que não é perseguição. Ao contrário, disse que avisou aos jogadores na pré-temporada que teria de utilizar os reforços de renome. O brasileiro sobrou e não merece tal "castigo". Tem bola para buscar novos ares. Que o faça.

Ele sonhou com a Copa, fez um 2016 muito bom e agora se contentaria em "jogar"

Foto: Instagram/Lucas Moura