FUTEBOL

Há 50 dias ele tinha carta branca para tocar seu "projeto". Dormiu desempregado

Fábio Hecico
Autor
Fábio Hecico

Vanderlei Luxemburgo não conseguiu a redenção que tanto queria na carreira. E, após 5 meses no Sport, ele amarga a 12ª demissão seguida sem completar um ciclo de trabalho. Curiosamente, menos de dois meses atrás ele era bancado pelos dirigentes e tinha carta branca para seguir implantando seu projeto no clube. Tudo acabou no meio de um mata-mata.

Foi o próprio treinador quem anunciou a sua demissão. Após a derrota por 2 a 0 para o Junior Barranquilla, na Ilha do Retiro, na ida das quartas de final da Copa Sul-Americana.

"Queria agradecer da forma que fui recebido por vocês da imprensa. Infelizmente o futebol é assim, tudo fica por culpa do técnico. Eles entenderam que era melhor que eu saísse", afirmou, cabisbaixo.

Há 50 dias, num momento de turbulência do time, com série sem vitórias, os dirigentes pernambucanos bancaram o treinador e disseram que ele podia fazer o que bem entendesse com o grupo. Luxemburgo chegou a cobrar com veemência os jogadores e tinha respaldo. O clube "estava com ele".

A postura elogiável da época foi pelo ralo na noite desta quinta-feira, já que demitiram o treinador "por falta de resultados". Lá atrás servia, agora não? Bola fora.

Há 50 dias ele tinha carta branca para tocar seu "projeto". Dormiu desempregado

Foto: Williams Aguiar/Sport