FUTEBOL

Presidente do Atlético-MG cansa de vexames e enquadra o time: "salários em dia"

Autor

Reforços chegaram e a diretoria manteve peças importantes do ano passado. A expectativa de um grande 2018, porém, anda distante no Atlético-MG. E, após mais um vexame na ainda precoce temporada, o presidente perdeu a paciência e resolveu "colocar o time no paredão". A quarta derrota em nove jogos trouxe cobrança e um desabafo de Sérgio Sette Câmara, que pediu mais entrega dentro do campo.

O mandatário ficou bastante irritado após o empate apertado sofrido na estreia da Copa do Brasil - 1 a 1 com o Atlético-AC - e explodiu após a equipe levar a virada em pleno Independência para a Caldense (2 a 1). Sobrou para todo mundo.

"Os jogadores estão com o salário em dia, eles têm que entregar mais. A gente sabe que o elenco é qualificado, tem que ter mais entrega do que está tendo. A gente aguarda que nos próximos jogos a resposta venha com melhores resultados", protestou.

Em nove jogos na temporada, sendo dois na Flórida Cup, o Atlético-MG ganhou apenas dois. Foram mais quadro derrotas, três empates e muita boneca do torcedor, que fala em "rezar bastante, pois o ano promete muito choro".

Para piorar, o time demitiu o técnico Osvaldo de Oliveira e ouviu um "não" de Cuca. Sob cobrança do torcedor e sem rumo, o Galo mais uma vez começa uma temporada de maneira decepcionante. Parece não ter aprendido com tantos erros em 2017.

Presidente do Atlético-MG cansa de vexames e enquadra o time: "salários em dia"

Foto: Bruno Cantini/Divulgação