FUTEBOL

Quase fora de jogo da volta da Libertadores, santista critica logística do clube

Author

O Santos trouxe na bagagem de Guayaquil um ótimo empate com o Barcelona, por 1 a 1, no jogo de ida das quartas de final da Libertadores. Por outro lado, duas dores de cabeça: as lesões musculares de Lucas Lima e Bruno Henrique. 'Quase fora' do jogo de volta, o meia não poupou críticas aos dirigentes por causa da logística para o confronto.

Quase fora de jogo da volta da Libertadores, santista critica logística do clube

Lucas Lima foi substituído após sentir uma contusão muscular no posterior da coxa fruto do desgaste proporcionado pela falta de tempo ideal para descanso entre o clássico com o Corinthians, domingo, e o jogo da quarta-feira.

"Senti embolar meu músculo, infelizmente. Vamos ver, fazer exames, mas não sei se vou jogar. (A lesão) deve ser pela viagem, foram 16 horas. Temos que rever isso daí", disse em entrevista à Fox, ainda no gramado. Após o jogo, o meia estava desolado.

A diretoria do Santos fez questão que os titulares jogassem o clássico e acabou complicando a vida dos atletas, que deixaram a Vila Belmiro direto para o Equador. Os jogadores nem jantaram. Com escala de três horas em Bogotá, na Colômbia, o clube levou 16 horas para chegar até Guayaquil.

O clube podia fretar um voo, mas ele também teria escala e não diminuiria muito o tempo da viagem. O valor alto também fez o Santos desistir da ideia, o que irritou bastante o grupo.

O atacante Ricardo Oliveira, capitão e porta-voz do elenco, endossou as palavras de Lucas Lima: "Não quero que fique ar de protesto, mas é desumano e de repente um esforço melhor facilitaria um grande desempenho em campo. "

Bruno Henrique foi oito substituído por problemas musculares. Ele sentiu dores na panturrilha. Numa fase decisiva, a direção devia pensar um pouco em seus atletas. Ou o título escorre pelo ralo por falta de planejamento.