FUTEBOL

Real Madrid não é mais um bicho papão, para a alegria (e esperança) do Grêmio

Autor

O Real Madrid passou como um trator por cima de muitos times nos últimos anos. Com Cristiano Ronaldo jogando o fino da bola, a equipe merengue tornou-se um bicho papão no futebol. Enfrentá-lo era certeza de derrota. Prestes a disputar o Mundial, os tropeços parecem assombrar o time de Madri e muitos (rivais até pequenos) já não o temem. A crise de resultados aumenta a esperança de Grêmio na luta para "ganhar o mundo".

Existem os duelos semifinais do Mundial de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, mas todos dão como certa uma final entre América x Europa no Mundial. E, depois de alguns anos, sem um amplo favorito.

Tudo por causa dos seguidos resultados ruins do Real Madrid. Há tempos que um início de temporada não é tão claudicante. São muitos deslizes, vacilos, derrapadas.

Até time da Terceirona anda segurando o Real, não é mesmo Fuenlabrada? O 2 a 2 garantiu os merengues nas oitavas da Copa do Rei. Mas algumas cornetadas. No sábado foi o Athletic de Bilbao quem segurou o 0 a 0.

Só no Espanhol foram 14 pontos desperdiçados, um por rodada. Muita coisa num torneio de "dois times". E como o Grêmio tem defesa segura e contragolpe rápido, não estranhem se Cristiano Ronaldo ficar com cara de poucos amigos no Mundial. Os gaúchos vêm forte.

Real Madrid não é mais um bicho papão, para a alegria (e esperança) do Grêmio