FUTEBOL

Sonho de Guerrero disputar a Copa chega ao fim com suspensão de 1 ano por doping

Autor

Paolo Guerrero jogou muito nas Eliminatórias Sul-Americanas. Para ele, levar a seleção peruana à Copa do Mundo após 36 anos de ausência era questão de honra. E também um sonho pessoal. A missão foi cumprida, mas o goleador não estará na Rússia em 2018 por causa de suspensão por doping.

Flagrado com metabólito da maconha num exame antidoping justamente nas eliminatórias, o camisa 9 conseguiu provar nos tribunais que não é usuário de drogas, mesmo assim sua sentença foi dura. A Fifa anunciou que ele terá de cumprir um ano de suspensão.

A volta aos gramados só acontecerá em 3 de novembro de 2018. Até lá, ele fica impossibilitado de disputar qualquer competição. Deve até perder o atual emprego. Com contrato até agosto de 2018, deve rescindir amigavelmente com o Flamengo.

Desde que não consiga reverter a punição nos tribunais. Seus advogados já prometeram ir até a última instância para rever a pena. Em nota, o jogador se disse "surpreso e decepcionado".

"Guerrero e sua defesa receberam com extrema surpresa e decepção o resultado publicado pela FIFA punindo o atleta com 1 ano de suspensão mesmo reconhecendo que o jogador não faz uso de cocaína. As provas são contundentes e somadas à baixíssima concentração do metabólito comum à folha de coca não justificam em nenhuma hipótese essa decisão. Vamos recorrer até a última instância em busca de justiça e em prol do Jogo Limpo e do Esporte Justo", foi o teor da nota emitida.

Com tantas ausências de peso da Copa da Rússia, a suspensão de Guerrero deixa a competição um tanto mais triste.

Sonho de Guerrero disputar a Copa chega ao fim com suspensão de 1 ano por doping

Foto: Daniel Vorley/Agif