OUTROS

ESSA QUESTÃO DE GÊNERO.

GuiadeEstilo
Author
GuiadeEstilo

Na semana passada tivemos um caso que repercutiu muito pelas terras tupiniquins.

Uma cantora evangélica (leu bem em!) dando sua opinião, sobre: Gênero. Na sua publicação ela se dizia indignada com a "passividade das pessoas em aceitarem a imposição da ideologia de gênero (sic)". 

BUT, não viemos falar sobre ela, até porque TODO MUNDO já deu sua opinião (todo mundo mesmo). Viemos sim falar, sobre gênero, e os termos que invadiram o mundo da moda: gender-bender  (além-gênero, em tradução livre) ou genderless (simplesmente, sem gênero, em tradução livre ). A moda vem brincando a muito tempo com a questão de gênero, e ultimamente tudo tem ficado muito mais visível, e convenhamos isso é maravilhoso. E vou te explicar um pouco porque!

Tudo começa lá por 1920, quando a pioneira na moda unissex Coco Chanel, ousou lançar sua coleção com peças inspirada no guarda-roupas MASCULINO. Essas peças como camisa bretão, calça pantalona desfilaram muito bem em corpos femininos. A partir daí uma penca de mudanças foram acontecendo. THANKS COCO <3

Mudanças essas que fizeram e fazem a moda se reinventar. Entra temporada, sai temporada e sempre estamos pegando uma peça deles para elas, uma delas para eles e assim vai. Mas essa questão de gênero, não é mais ( ou talvez, nunca foi) uma questão de estilo. Ela caminha nas veredas da personalidade, do encontro do individuo com ele mesmo, tem a ver com a ruptura dos estereótipos sobre as formas tradicionais de gênero.  A moda vem sendo um agente de inclusão e diversidade, e isso é lindo! Um exemplo fortíssimo dessa desconstrução foi um dos desfiles da temporada de inverno 2016 (na gringa), onde polêmico Rick Owens desconstruiu os valores tradicionais de virilidade do vestuário masculino ao apresentá-los na passarela com túnicas que deixavam os pênis à mostra.

ESSA QUESTÃO DE GÊNERO.

O mundo fashion pirou e ficou chocadíssimo, mas voltamos a falar desse movimento com uma força muito maior. E também voltamos a nos perguntar onde a moda e a cultura do gênero vai parar e nos levar? Será que vamos conseguir desconstruir tudo isso? ( que venha a nova geração <3 )

Quem não lembra do modelo Andrej Pejic (agora Andreja Pejić), ele começou uma carreira de sucesso por poder caminhar por esses dois mundos, o feminino e masculino, abrindo portas para muitas(o) modelos trans.  Hoje mulheres já vivem nas seções masculinas ( eu me perco muito por elas) e nessas compras básicas, acabamos por desconstruir a silhueta imposta por padrões de beleza da sociedade ( mas isso vamos conversar outra hora).  A importância desse movimento para o varejo é muito significativa, não é um processo que irá acabar como uma simples tendência e sim um processo, como já disse acima, de ruptura de esteriótipos. Voltamos ao que nos trouxe aqui, a campanha da C&A  (a qual a cantora dá sua opinião)que vem trazendo a ruptura do gênero lindamente.  

Você meu queridX pode ser o que bem quiser (desde que seja uma pessoa do bem), PODE VESTIR O QUE BEM entender, e a moda está aqui para isso. Os gender-bender estão saindo das artes, das passarelas para ganhar definitivamente o mundo, as ruas a vida. A moda vem desmistificando padrões de cor, raça e conspirando a favor de um mundo sem preconceito e livre, como você DEVE SER!  LIVRE