AMOR

Amigos de infância: a melhor coisa da vida!

Helena Sordili
Author
Helena Sordili

Tem coisa melhor na vida do que ter amigos? SIM! Ter amigos de infância!

Amigos de infância: a melhor coisa da vida!

Alguns vão dizer que amigos mesmo dá para contar nos dedos. Outros vão dizer que as amizades já não são as mesmas de antigamente.

Pois eu vou dizer que me sinto privilegiada por ter amigos, dos mais diversos círculos/tribos e que conservo amigos de uma vida inteira.

A medida que a gente cresce, muda de escola, entra na faculdade, começa a namorar, trabalhar ou se casa (e tem filhos) vamos selecionando/filtrando as amizades. É normal as amizades mudarem, há uma espécie de seleção natural de acordo com o momento.

Os meus amigos de infância

Mesmo tendo passado por isso e ter vivido numa fase pré-redes sociais digitais (para vocês terem uma ideia eu me cansei ANTES do ORKUT existir!!!), conservo amigos de infância.

E por amigos de infância entende-se amigos que estudaram comigo desde a 1ª série primária (com a licença poética aqui pois as novas nomenclaturas são confusas demais para essa cabecinha cansada).

A gente mantém contato graças às redes sociais, mas independente delas. Entende?

Alguns grupos se reúnem sempre. Outros se vêem apenas uma vez por ano ou no aniversário dos filhos. Não importa. Importa que sabemos que eles estão lá.

E amigo é aquele que, não importa onde paramos, podemos sempre retomar daquele ponto. Não tem cobrança, não tem #mimimi.

Os amigos de infância dos meus filhos

Quero muito que meus filhos tenham amigos de infância como eu tenho. Sei que hoje é mais fácil manter contato, mas mais difícil manter amizades.

Eles já são amigos dos filhos dos meus amigos, mas sei que isso é passageiro na maioria dos casos.

Amigos de escola em geral são os que permanecem. E acho que estamos no caminho para que esses laços de amizade permaneçam ainda que mudem de escola, bairro ou cidade.

Meus filhos já "perderam" amigos queridos nas transições de segmentos, mas tentamos manter as amizades, visitas ou o contato.

Quero que eles olhem para trás e tenham orgulho das amizades que construíram, assim como eu tenho das minhas.