CRIANÇAS

As bolhas da Maternidade

Helena Sordili
Author
Helena Sordili

Será que estou criando meus filhos em bolhas?

Vira e mexe me pergunto se estou criando meus filhos dentro de uma bolha... se estou limitando a visão deles de mundo pela minha visão.

Acho que é normal termos direcionamentos na educação, valores que transmitimos aos filhos, formas de viver em família ou de relacionar-se com as demais pessoas. Mas não podemos limitá-los a nossa experiência.

As bolhas da maternidade

Por muito tempo eu fui a mãe radical e vou dizer: é bem mais fácil quando eles são pequenos e você decide tudo (sozinha ou com seu marido/companheiro/pai dos seus filhos) sem que as crianças argumentem.

Isso não quer dizer que eles me dobram ou que eu faço o jogo "maria vai com as outras" porque afinal eu tenho bem claro (até a página 2 pelo menos heheh), o que quero ou não para eles.

Será inútil o papo de "o fulaninho fez", "a fulaninha vai" e assim por diante. As decisões aqui em casa são tomadas a partir de atitudes cotidianas e no que acreditamos.

Mas eu dei espaço para a mãe chata abrir o olhar, experimentar outras formas de maternar com meus filhos. Não existe por aqui o "não e ponto", nem o "porque eu estou mandando". Essa geração não aceita mais isso (UFA!) e a gente precisa aprender a conviver com os questionamentos.

As bolhas da maternidade estão por aí, seja na alimentação, na educação formal, na rotina diária, nos limites no tablet/video game e afins. Até no quanto você deixa seu filho livre para explorar suas descobertas!

Deixar os filhos conhecerem outras realidades (sociais, financeiras, emocionais) faz parte do crescimento deles. Faz parte do aprendizado e da construção dos backgrounds. É importante que eles entendam a diversidade do mundo para que se enriqueçam e percebam que tem vida diferente e rica para além da asa da mãe.