AMOR

O que você deixou de ser quando cresceu?

Helena Sordili
Author
Helena Sordili

Vi um dia desses essa imagem (abaixo) no Instagram e ela me pegou de jeito.

O que você deixou de ser quando cresceu?

Eu cresci muito rápido. Além de ser a filha caçula, sou (e a impressão que tenho é de que sempre fui) a mais alta das três. Nasci um bebê grande, fui uma criança grande e aos 12 anos eu já tinha a altura que tenho hoje (nada menos que 1.83m).

O filho caçula tem os supostos mimos mas tem o aprendizado atropelado. A gente não é tão paparicado ou mimado na atenção do dia-a-dia, vai no "bolo" do que estiver rolando.

Cresci meio na marra, mas relutei e brinquei de bonecas até os 15 anos porque me sentia criança. (e se deixar ainda brinco viu?)

Ser adulto dói... assumir responsabilidades, fazer escolhas é um processo muito forte de transformação. A gente só tem consciência disso depois.

Meus filhos estão crescendo

Eu tenho filhos pequenos. Não tão pequenos... Mas já sofro com o crescimento deles. 

Eu sinto muito quando uma criança aprende que as pessoas não são tão legais, ou quando descobrem que Papai Noel não existe, ou ainda quando lúdico não os encanta mais. Quando a gente cresce, deixa para trás o olhar fresco sobre as coisas/situações. Já não se surpreende ou emociona tão facilmente.

A Isa perdeu o colo aos 2 anos quando o irmão nasceu. Ela também foi o bebê grande. E eu quero muito que ela não sinta as dores de crescimento que eu senti.

A gente precisa dar aos filhos instrumentos para que eles cresçam e se desenvolvam. Sejam autônomos e assumam suas responsabilidades, suas decisões. Que corram riscos, façam cagadas... mas que consigam retomar a vida.

A gente pode crescer sem deixar para trás os valores, as boas lembranças, tudo o que vivemos de bom e os aprendizados da infância - que são milhares.

O desafio é crescer sem se perder, sem deixar para trás sua essência de criança.