FILMES

10 péssimas sequências de ótimos filmes de ação

Autor
10 péssimas sequências de ótimos filmes de ação

É uma equilíbrio difícil de encontrar, e não existe uma fórmula de sucesso que pode ser repetida anos a fim sem risco de fracasso monumental. Se um filme de ação faz sucesso nas bilheterias, é normal que um estúdio queira replicar aquele sucesso filmando uma sequência (ou duas ou três ou 18!). Só que eventualmente a ganância passa do ponto, e o público se decepciona com o rumo que a “franquia” tomou. Em algum momento, alguma sequência vai decepcionar. Foi isso que aconteceu com todos os filmes abaixo.

1. Mad Max - Além da Cúpula do Trovão

O diretor George Miller tenta recriar a intensidade dos dois filmes anteriores, mas obtém sucessos em apenas alguns instantes - não o suficiente para fazer uma película à altura das antecessoras. Além da Cúpula do Trovão fica muito atrás dos outros - inclusive do recente Estrada da Fúria, de 2015.

2. Alien - A Ressurreição

Aqui vale uma ressalva: Alien não foi um filme de ação. Só que Aliens, a sequência, foi. E foi um grande filme. Por isso, A Ressurreição entra nesta lista. E foi pior até do que Alien 3. Tudo de bom dos três filmes anteriores foi jogado fora ou mal aproveitado. Parece que quiseram fazer um filme novo, mas se sentiram obrigados a usar - contra a vontade - elementos dos filmes anteriores. O resultado foi desastroso.

3. Um Tira da Pesada 3

O primeiro Um Tira da Pesada é fascinante. Eddie Murphy dá vida a um policial, misturando cenas de humor a uma história interessante, e o resultado é incrível. A sequência é um bom filme de ação - mais ação do que comédia. E aí vem o terceiro filme e estraga tudo. É outro daqueles filmes genéricos sem a inspiração - e a novidade - dos filmes anteriores.

4. Duro de Matar: Um Bom Dia Para Morrer

É preciso dar mérito para a série Duro de Matar. Foram quatro filmes bons lançados de 1988 a 2007. Quase 20 anos de excelência com Bruce Willis. Difícil. Merece os parabéns. Só que aí veio Um Bom Dia Para Morrer em 2013, com um Willis pouco inspirado e cenas de ação um tanto genéricas. Epic fail.

5. 48 horas - Parte 2

Nick Nolte e Eddie Murphy fizeram uma dupla improvável de sucesso em 48 horas, de 1982. Oito anos depois, se juntaram novamente na Parte 2, só que a química entre os atores não se repetiu. É como se nenhum deles estivesse animado de verdade para a sequência, e isso ficou evidente na tela.

6. O Exterminador do Futuro: Gênesis

Muita gente nem sabe que esse filme existiu, apesar da participação de Arnold Schwarzenegger para tentar resgatar uma série que vinha caindo em desgraça após os já lamentáveis A Rebelião Das Máquinas e A Salvação. Não é muito diferente do que aconteceu com Alien. Um primeiro filme ótimo, uma sequência espetacular e um tombo espetacular depois disso. Gênesis não deveria ter existido.

7. Robocop 3

Robocop bombou não só porque foi um filmaço de ação. Tinha tecnologia e, em 1987, colocava em jogo uma discussão que vale até hoje: o uso de robôs como força policial. Robocop 2 já fracassou, e Robocop 3 foi uma tentativa frustrada de pegar um filme violento e adaptar a história para um público mais jovem (o que daria mais dinheiro de bilheteria).

8. O Corvo: A Cidade dos Anjos

O Corvo é mais lembrado pela morte de Brandon Lee (era o que ele estava filmando quando morreu - o que não aconteceu no set), mas é um grande filme. Só que A Cidade dos Anjos parece uma tentativa do diretor Tim Pope de fazer um filme de arte. Não rolou.

9. Transformers: A Vingança dos Derrotados

Típico exemplo da franquia que foi fazendo filmes cada vez piores. E isso porque o Transformers de 2007 já não foi espetacular, né? A Vingança dos Derrotados, de 2009, é um filme de 2h30min com uma história nada original e cenas de ação difíceis até de entender.

10. Velocidade Máxima 2

Já é difícil entender o sucesso do primeiro. Para pra pensar: um ônibus que precisa manter uma certa velocidade no trânsito de Los Angeles para não explodir? Pelo amor de deus, né? Mas, de algum modo, fez sucesso. E aí tentam repetir uma fórmula doida a bordo de um navio. Óbvio que não ia dar certo.