PALADAR

Carboidratos: parar de vez com eles ou entender a melhor hora de consumi-los?

Autor

Toda vez que a gente engorda, é preciso encontrar um vilão. Às vezes, é o estresse no trabalho. Às vezes, é um problema pessoal. Tem um monte de coisa que faz a gente comer mais do que deve. E tem, claro, a questão dos carboidratos. São eles, quase sempre, que levam a culpa por tudo que a gente consome e se transforma em gordura armazenada nos nossos corpos.

Carboidratos: parar de vez com eles ou entender a melhor hora de consumi-los?

O que fazer, então? Há quem recomende cortar de vez os carboidratos. A solução é fazer uma dieta só com proteínas. Muitas dessas dietas ficaram famosas. Mas será que nosso organismo não sente nunca a falta de uma massa, por exemplo? Não dá para conciliar as coisas?

Claro que dá. O primeiro a fazer é tentar entender o problema, algo que muita gente não faz e sai cortando carboidratos como se não houvesse amanhã. Melhor do que fazer isso é programar os horários de ingestão desses carboidratos. Como, por exemplo, fazer esse tipo de refeição entre exercícios. Outra solução é deixar para comer carboidratos na manhã/almoço em vez de no jantar.

Carboidratos: parar de vez com eles ou entender a melhor hora de consumi-los?

Por que isso? Porque de manhã o corpo humano lida melhor com o influxo de carboidratos e consegue usá-los para, por exemplo, dar energia em vez de armazená-los na forma de gordura (principalmente abdominal). A mesma coisa acontece se você ingerir carboidratos antes ou logo depois de malhar. O exercício muda a maneira como o corpo vai tratar a alimentação, e isso faz uma diferença gigante.

O açúcar é um ótimo exemplo. Ele é uma fonte de energia rápida, limpa e que pode ser queimada rapidamente pelo corpo. O problema é ingerir doces de madrugada ou logo antes de dormir, quando seu organismo não precisa daquilo. Quantidades normais de açúcar durante o dia, antes ou depois de exercícios, não fazem mal algum.