GENTE

Chez Assange: museu de Paris recria moradia do fundador do WikiLeaks

Kristina Haddad
Author
Kristina Haddad

Julian Assange ficou famoso em 2010, quando seu site, o WikiLeaks, divulgou uma série de vídeos e documentos envolvendo as forças armadas americanas e suas operações de guerra em locais como Afeganistão e Iraque. Assange, australiano de 45 anos, foi preso, solto e desde 2012 mora na embaixada do Equador em Londres, onde recebeu asilo. Só que desde então ele não pode sair de lá, o que leva o mundo a imaginar como é a vida dentro de um quarto há mais de quatro anos. Pois um museu parisiense resolveu tirar essa dúvida.

Chez Assange: museu de Paris recria moradia do fundador do WikiLeaks

A mostra sobre Assange se chama “Whistleblower” e está exposta no Gaité Lyrique durante este mês de janeiro de 2017. O trabalho é de um grupo suíço chamado !Mediengruppe Bitnik. Eles conseguiram reproduzir o quarto de Assange na embaixada do Equador aos mínimos detalhes.

O quarto tem uma esteira de exercício, uma dezena de celulares diferentes, várias xícaras de chá, uma cópia de “Arte da Guerra”, de Sun Tzu, a máscara do grupo Anonymous e mais um monte de pastas cheias de documentos com rótulos de todos os tipos. Até o WiFi no museu, quando conectado, “engana” o visitante e mostra um mapa de Londres.

Segundo os produtores, o objetivo da exibição é dar aos visitantes a noção do contraste entre a supervisão rígida da embaixada e os 20 metros quadrados onde as atividades do WikiLeaks continuam com liberdade.