OUTROS

Mitos e verdades sobre o câncer de mama

Kristina Haddad
Autor
Kristina Haddad
Mitos e verdades sobre o câncer de mama

Outubro já está indo embora e, com ele, a belíssima campanha de conscientização para prevenção do câncer de mama. Por isso, resolvemos listar aqui alguns mitos e verdade para que o mês acabe sem dar por encerrada a necessidade de você continuar a se cuidar, moça. É preciso estar alerta sempre porque com sua saúde não se brinca.

Tenha sempre em mente essas informações:

#1 Se alguém na minha família teve, então eu posso ter

Verdade: Ter mãe, irmã ou filha com câncer de mama aumenta o risco em 80%. Há um teste que mostra se há mutações genéticas, mas custa em torno de R$ 600. Se for detectada a mutação, as cirurgias preventivas conseguem reduzir bastante esse risco. 

#2 Não tenho histórico familiar então estou fora de risco

Mito: Nenhuma mulher está imune ao câncer de mama. A incidência da doença é de uma em cada oito brasileiras de até 70 anos.

#3 Fazer mamografia todos os anos é necessário para detectar tumores

Verdade: a mamografia é a principal forma de diagnóstico precoce da doença. Mesmo se você não sentir algum nódulo no seio ou qualquer outro sintoma, o exame de mamografia realizado anualmente ou mesmo duas vezes ao ano, após os 40 anos de idade, é capaz de identificar a doença nos estágios iniciais.

#4 Emoções negativas como estresse, mágoas e raiva podem causar câncer

Mito: A ciência não descobriu, até hoje, se existe uma relação entre sentimentos e o câncer. Os médicos creem que realmente não haja nenhuma. O que se sabe, porém, é que alguns comportamentos podem causar a doença, como o fumo, a bebida, a má alimentação, a exposição demasiada ao sol ou até mesmo a mutilação constante de mucosas por meio de fricção ou desequilíbrio gástrico.

#5 Mulheres obesas são mais suscetíveis à doença

Verdade: O excesso de peso é prejudicial porque o tecido gorduroso aumenta os níveis de estrogênio, hormônio que atua sobre as glândulas mamárias.

#6 Reposição hormonal dá câncer

Mais ou menos: porém, não é uma fórmula de bolo. A mulher necessita muitas vezes desse tratamento, por isso o médico deve ser muito consciente ao acompanhar a paciente. A terapia costuma ser usada em mulheres na pós-menopausa para melhorar os sintomas do climatério e reduzir a osteoporose. O uso de estrogênio e progesterona deve ser muito bem dosado e por um tempo regular porque esses hormônios podem comprometer as alterações que as glândulas mamárias sofrem com o avançar da idade. Isso aumenta o risco de câncer de mama quando o uso é por tempo prolongado.

#7 Quem menstrua muito cedo ou é mãe depois dos 30 anos tem maior probabilidade de desenvolver a doença

Verdade: O risco aumenta porque essas mulheres menstruam mais vezes ao longo da vida, ficando excessivamente expostas aos hormônios estrogênio e progesterona. O estrogênio estimula as células da glândula mamária a se reproduzir. Portanto, quanto mais menstruações, maior é o risco.

#8 Anticoncepcionais que interrompem a menstruação são eficazes na prevenção do câncer de mama.

Mais ou menos: Esse tipo de anticoncepcional tem sido altamente positivo no combate ao câncer de colo de útero. Contudo, em casos de câncer de mama, a ciência ainda não descobriu nada.

#9 Praticar atividade física ajuda na prevenção

Verdade: Cerca de 30 minutos diários de caminhada são suficientes. E a atividade traz benefícios extras: mantém os ossos fortes e a cabeça tranquila.

#10 Próteses de silicone podem causar câncer

Mito: Não há relação entre câncer de mama e próteses de silicone. O único problema é que o implante pode dificultar o diagnóstico de tumores.

#11 Câncer de mama só dá em mulheres

MITO: qualquer animal na face da Terra que tiver mamas e mamilos possui glândulas mamárias e, portanto, sujeito a desenvolver um câncer no local. Portanto, homens também devem ficar atentos e fazer exames de toque dos 40 anos.