CRIANÇAS

O tédio faz bem às crianças e você precisa saber disso

Kristina Haddad
Author
Kristina Haddad

Então as férias chegaram e a família não vai viajar. O que fazer? Pai e mãe trabalham, o filho adolescente não quer ser babá, e a criança faz o quê? É até natural que todo mundo queira arrumar uma ocupação para o moleque. Colônia de férias, escolinha de futebol, aula de música, cursinho de inglês… O que não falta é opção por aí. O problema é que encher a pessoinha de coisa pode não fazer nada bem a ela. Os psicólogos dizem que bom mesmo é o tédio. Sim. T-É-D-I-O.  

Eu explico. A teoria de médicos e psicólogos não é complicada. O que eles dizem, basicamente, é que entupir a molecada de atividades, além de desnecessário, inverte a lógica natural da coisa, que seria a própria criança escolher o que fazer!

Tem um segundo ponto importante no que eles dizem. A principal função de pais e irmãos mais velhos é preparar a criança para o mundo adulto, certo? Então se a família passa o tempo inteiro dizendo o que ela tem que fazer, ela nunca vai aprender a fazer as coisas por conta própria. 

Logo, o tédio é NECESSÁRIO! Sua família não vai estar criando um vagabundo se não der nada para a criança fazer no tempo livre. É justamente nessa hora que esse projetinho de pessoa vai procurar algo por conta própria e descobrir o que ela quer e gosta de fazer.

Sempre existe o risco de o menino ficar realmente entediado e não fazer nada por algum tempo, mas não vai durar pra sempre. E essa teoria existe desde sempre. Ou quase isso. Em 1930, um filósofo chamado Bertrand Russell já dizia que a capacidade de lidar com o tédio e o poder de imaginação precisam ser desenvolvidos enquanto criança.  

Então já sabe, né? Se você é pai, mãe, irmão ou irmã, DESAPEGUE e deixe o moleque em paz. Ele vai saber o que fazer.