OUTROS

Por que o chuveiro pode ser seu psicólogo matinal

Kristina Haddad
Author
Kristina Haddad

O mundo moderno, cheio de tecnologia e gadgets para facilitar nossa vida, também trouxe um punhado de obsessões. Pressão para ir bem no trabalho e “subir na vida”, pressão para perder peso, pressão para ter um relacionamento de sucesso e até pressão para mostrar isso tudo nos Instagrams e Facebooks da vida.  

Não dá pra conseguir tudo isso ao mesmo tempo, né? Ou pelo menos não dá pra ser sincero pros amigos sobre isso tudo. E agora tem a tal da pressão para relaxar. Não importa o quanto você precise fazer, tem que mostrar pra todo mundo que você tem seu tempo pra combater o estresse.

Você pode tentar spa, massagem, ofurô, cadeira de massagem, sauna… Tem até aquela massagem relaxante, mas deixa eu te contar um segredo: aquilo NÃO É MASSAGEM! Então o que fazer? Correndo o risco de parecer um livro canalha de auto-ajuda, tem uma coisa muito simples, mas tão idiota, que você vai achar bobagem, mas vai funcionar se você levar a sério: o CHUVEIRO. 

Calma que eu explico, tem toda uma tese por trás disso. Os psicólogos dizem que todos os métodos externos (tipo as massagens e terapias e tal) fazem com que você não use a sua própria força. E é justamente essa “preguiça” interna que te causa ansiedade e todos outros problemas.

A teoria do chuveiro matinal manda você sentir a água no corpo e prestar atenção em cada gota. Como ela corre, como seu corpo reage, como seus músculos relaxam ou contraem de acordo com a temperatura. É quase igual ao zen budismo. Os pensamentos vão vir, mas você deixa eles irem embora por conta própria.  

É nessa hora que você tem que reconhecer seu estado de espírito nesse dia. Tá ansioso? Nervoso? Triste? Feliz? Preocupado? Tudo bem. É nessa hora que a gente precisa parar e pensar: “OK, tudo bem eu estar assim hoje”. Não tem nada de errado nisso. Sensações estão aí para isso. Serem sentidas. E tenha um bom dia!