VIAGEM

Vai viajar? 7 coisas que você precisa saber sobre turbulência

Kristina Haddad
Author
Kristina Haddad
Vai viajar? 7 coisas que você precisa saber sobre turbulência

Para muita gente, viajar de avião é sempre uma experiência desconfortável. Você mal vê o que acontece lá fora, não tem ideia do que está na frente do avião e não pode fazer nada (a não ser rezar) quando o bicho começa a trepidar. A notícia boa é que enquanto você está com medo e torcendo para o avião não cair, o fato é que a turbulência, na graaaaande maioria dos casos, é causada por rajadas de vento. E os aviões são projetados para lidar muito bem com isso. Então, antes que você desista das férias por causa do medo de uma trepidaçãozinha, dê uma olhada na lista abaixo:

1. Turbulência é inofensiva

A afirmação vale para uma enorme maioria dos casos. E a turbulência quase sempre é causada por correntes de vento verticais originadas em nuvens, correntes de ar quente ou frio, ou mudanças rápidas na direção do vento. Sem drama.

2. Turbulência não derruba aviões

Embora você sinta de vez em quando aqueles sustos e quedas bruscas, o avião é projetado para lidar com isso tudo. Tente não esquentar a cabeça.

3. Contusões causadas por turbulência são raras

Nos EUA, 58 pessoas sofrem contusões provocadas por turbulência. É um número insignificante comparado aos 800 milhões que entram em aviões a cada ano. E, ainda assim, 2/3 desse número envolvem passageiros ou comissários de bordo que não estavam usando o cinto de segurança no momento. Ou seja, se você continuar sentado e com o cinto afivelado, fique tranquilo.

4. Pilotos sabem quando vai acontecer

Talvez você ache que isso não lhe serve de conforto, mas raciocine assim: se o piloto sabe que vai acontecer, avisou pelo sistema de som e decidiu atravessar a zona de turbulência assim mesmo, é porque não há perigo. Hoje em dia, as companhias aéreas recebem todo tipo de relatórios sobre as condições climáticas no roteiro do voo. Além disso, outros pilotos que passam pela região minutos antes avisam em caso de perigo. Se o seu avião não desviou, fique tranquilo. Vai passar.

5. O cinto de segurança resolve

Se você leu o item 3, abe o esquema. Fique no lugar, afivele o cinto e espere até que o aviso luminoso apague. A chance de algo acontecer com você nessas condições é quase nula.

6. Turbulência de ar limpo é a mais perigosa

Okay, este item não é para lhe preocupar, mas vale cautela. Sabe quando seu avião balança e você olha para os lados e não vê nuvem nenhuma? Pois é, esse é o tipo mais perigoso de turbulência. Sem nuvens, essa turbulência não é captada por radar nenhum. E aí sobra pouco tempo para o piloto avisar e você voltar para o seu assento. Mesmo assim, sem chance de isso derrubar seu avião.

7. O futuro é animador

Em breve, vai ser possível evitar todo tipo de turbulência. As companhias aéreas já estão testando uma tecnologia que usa raios laser ultravioletas para enviar pulsos contra o ar turbulento que está à frente dos aviões. Já pensou que delícia?